Facebook melhora ferramenta de check-in de segurança

Por Redação | 14 de Junho de 2017 às 13h33

O Facebook anunciou nesta quarta-feira (14) uma série de melhorias à sua função de check-in de segurança, dando mais contexto, informação e, principalmente, facilitando a prestação de auxílio a vítimas de catástrofes naturais ou acidentes. As novidades estão disponíveis em todo o mundo, mas somente quem estiver nos arredores de incidentes do tipo pode utilizá-la.

Em uma das principais mudanças, o recurso de check-in de segurança, agora, permite que os usuários adicionem informações de contexto. A funcionalidade permite que os utilizadores avisem familiares, amigos e contatos do Facebook de uma única vez, marcando-se como seguro após a ocorrência de atentados ou desastres naturais, por exemplo.

A partir de agora, todas essas marcações virão acompanhadas de informações adicionadas automaticamente sobre o incidente em questão, e o usuário poderá falar ainda mais sobre sua situação. A ideia, por exemplo, é que alguém alerte a todos que estava em casa quando um desastre aconteceu, ou que o ponto central da situação, por exemplo, se localiza em um bairro distante de onde mora.

Lançada durante o terremoto de 2011 no Japão, a ferramenta de check-in de segurança tem sido criticada por conta da importância exacerbada dada a ela por muitos usuários. O que se vê, agora, é uma torrente de mensagens a amigos e familiares sempre que um incidente acontece em uma localização próxima a eles, gerando um pânico e preocupações que, muitas vezes, não se adequam à situação real, algo que pode ser resolvido agora com a adição das informações de contexto. A restrição somente às proximidades de incidentes também veio depois que muitos usuários não relacionados a eles, principalmente brasileiros, começaram a abusar da plataforma também marcando-se como seguros.

O Facebook também anunciou uma expansão do recurso Community Help, que agora, passa a funcionar também no desktop e todas as outras versões da rede social. Antes disponível apenas nos celulares, a funcionalidade permite que os usuários de locais onde o check-in de segurança está habilitado ofereçam abrigo, transporte, comida e outros recursos para os afetados, facilitando o processo de auxílio inicial às vítimas.

A rede social, entretanto, deixa claro que o recurso somente será disponibilizado para aqueles que estiverem na região geográfica do incidente, com interessados em ajudarem a partir de outros territórios não tendo suas publicações agrupadas pela plataforma. Isso se deve ao fato de que a ideia é prestar auxílio imediato, algo que somente é possível de ser realizado por quem está nas proximidades.

O recurso está disponível somente nos Estados Unidos, Canadá, Nova Zelândia, Arábia Saudita, Índia e Austrália. As restrições regionais também valem para outra ferramenta de auxílio, essa sim, voltada para as doações internacionais, mas que, por enquanto, só poderá ser usada por órgãos americanos na coleta de fundos para ajudar vítimas de desastres, atentados e outros.

Testada pela primeira vez após os recentes atentados terroristas em Manchester, a ferramenta de doações do Facebook somente poderá ser gerenciada por organizações certificadas, como forma de garantir que o dinheiro arrecadado seja efetivamente utilizado para auxílio. Em sua primeira utilização, o recurso levou a mais de US$ 450 mil doados por 22 mil pessoas de todo o mundo para um fundo de auxílio a vítimas e familiares de mortos no ataque ocorrido na Inglaterra.

De acordo com o Facebook, mais de um bilhão de pessoas já usaram o recurso de check-in de segurança, que foi ativado mais de 600 vezes desde seu lançamento. No Brasil, ele foi usado durante as fortes chuvas que atingiram o estado de São Paulo, em março de 2016. As novidades fazem parte do movimento da rede social para se tornar mais segura para seus usuários.

Fonte: Facebook

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.