Facebook lança recurso para mudar foto em apoio às vítimas de atentados em Paris

Por Redação | 14.11.2015 às 22:48
photo_camera Divulgação

O Facebook lançou neste sábado (14) uma função que permite que seus usuários mudem suas fotos de perfil em solidariedade às vítimas dos atentados em Paris, na noite da última sexta-feira (13).

A novidade é semelhante a uma ação que aconteceu em junho, quando a rede social disponibilizou uma modificação em apoio a uma lei que legalizou o casamento gay em todo os Estados Unidos. Funciona da mesma forma: ao abrir a página inicial do Facebook, caso algum amigo já tenha aderido a iniciativa, você verá uma opção para trocar sua imagem. Depois, basta clicar no botão "Experimente" para deixar a fotografia com as cores da bandeira da França.

Ainda em apoio às vítimas dos ataques terroristas, a plataforma disponibilizou um recurso que permite aos internautas que estão no país avisar seus contatos que estão bem. Como a segurança em todo o território francês foi reforçada, é possível que algumas pessoas ainda não tenham contatado seus familiares e amigos sobre sua atual situação. Por isso, ao acessar o Facebook, o usuário pode entrar na página do "status de segurança" e marcar conhecidos que estejam a salvo ou confirmar essa atualização sobre si mesmo.

Nas últimas 24 horas, 4,1 milhões de pessoas se marcaram como seguras usando a ferramenta liberada pelo Facebook. Outras 360 milhões foram notificadas sobre a segurança de seus parentes.

Resumo dos atentados

Os terroristas agiram em vários pontos da capital da França. Por volta das 21h20 (horário de Paris), ocorreram três explosões nos arredores do Stade de France, onde acontecia um jogo de futebol entre França e Alemanha. No local estava o presidente francês, François Hollande, que foi retirado às pressas do estádio. Pouco antes das 22h, outro ataque foi registrado na rua Charonne, no 11º distrito, onde os atiradores abriram fogo contra os clientes do Bar La Belle Equipe.

Às 22h00, os terroristas abriram fogo contra o público que assistia ao show da banda Eagles of Death Metal, na casa de espetáculos Bataclan. Ainda foram confirmados outros dois ataques ao Bar Le Carillon e ao restaurante Le Petit Cambodge, no 10º distrito. Segundo as autoridades, pelo menos cinco locais foram alvos de atentados simultâneos, a maioria em regiões boêmias de Paris.

O governo francês classificou os atentados como os piores a atingir a França desde a Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e apenas dez meses após o ataque à redação do Charlie Hebdo. Ao menos 129 pessoas foram mortas, sendo 70 na casa de shows Bataclan, e mais de 300 ficaram feriadas - dois brasileiros também foram atingidos, mas estão fora de risco. O grupo radical Estado Islâmico reivindicou a autoria dos ataques neste sábado.

Em nota, o presidente François Hollande declarou estado de emergência em toda a França e fechou as fronteiras do país. Também foi imposto um toque de recolher em Paris, onde o Exército está posicionado.

Fontes: Facebook, VentureBeat