Facebook lança Internet.org e convida desenvolvedores a participarem do programa

Por Redação | 04.05.2015 às 10:53

O Facebook abriu nesta segunda-feira (04) a plataforma Internet.org para desenvolvedores que queiram criar sites e aplicativos gratuitos que se integrem ao programa. Além disso, novos serviços básicos foram adicionados à plataforma.

O projeto Internet.org tem intenção de oferecer serviços básicos de internet móvel a locais em que ela ainda não está disponível. Apesar da ideia parecer muito nobre, o Facebook tem enfrentado diversos desafios na implantação e popularização do serviço. Recentemente, alguns ativistas digitais da Índia expressaram preocupação com o controle do Facebook sobre todos os dados acessados no serviço, alegando que isso violava os princípios de uma internet aberta e livre.

Críticos têm argumentado que a rede social usaria o Internet.org para canalizar novos usuários para seus serviços prediletos, mas agora Mark Zuckerberg quis provar o contrário ao dizer que qualquer empresa pode se inscrever na plataforma, desde que siga determinadas orientações técnicas para manter o consumo de dados baixo.

Por meio de um vídeo, o CEO do Facebook explicou que a escolha inicial de oferecer apenas alguns serviços no Internet.org era algo pragmático, uma vez que "não era sustentável oferecer toda a internet de graça". Ele acrescenta que o Facebook não colocará anúncios no serviço e empresas não pagarão para ser inclusas no Internet.org.

"Nós tivemos que começar por algum lugar. Então nós o lançamos primeiro com parceiros que queriam trabalhar conosco nessa missão de conectar o mundo. Mas nós vamos trabalhar com qualquer um que queira se juntar a nós", disse Zuckerberg. "Em breve, vamos compartilhar uma especificação técnica aberta e qualquer serviço compatível estará disponível por meio do Internet.org para todo o mundo".

O Internet.org oferece acesso gratuito via telefones celulares a sites como Wikipedia, Google, serviço de aconselhamento e prevenção contra o HIV, aplicativos relacionados ao direito das mulheres e uma plataforma de busca de emprego, bem como acesso ao Facebook e ao Messenger. A rede social afirma que milhões de pessoas em nove países já estão usando o Internet.org para se conectar à web.

Fonte: Facebook