Facebook explica tecnologia para exibição de vídeos em 360 graus

Por Redação | 25.01.2016 às 08:04

A chegada dos vídeos em 360 graus representou a grande entrada do Facebook no mundo da realidade virtual, um aspecto que, inclusive, tem como grande entusiasta o próprio fundador da empresa, Mark Zuckerberg. A empresa chegou a adquirir a Oculus VR, um dos principais nomes do setor, e, apesar de deixá-la operando de maneira independente, também não se fez de rogada na hora de fazer incrementos na tecnologia, de forma a melhorá-la.

E é justamente isso que é exibido agora em um vídeo oficial postado na rede social pelo próprio Zuckerberg. No clipe, o Facebook explica de maneira simples como conseguiu melhorar o aspecto dos vídeos em 360 graus, sem esticar os pixels que aparecem nas partes superior e inferior da imagem, e obtendo um ganho de espaço em servidor que por si só já é importante, mas também reflete em maior velocidade de carregamento.

I found this interesting. It's a basic technical description of how we stitch together virtual reality and 360 videos efficiently enough to stream live on your phone.Video is growing quickly on Facebook. In the last year, people went from watching 1 billion video views each day to now more than 8 billion. We're constantly focused on ways to improve this experience and add new experiences like virtual reality and 360 videos.Virtual reality and 360 videos create lots of new challenges. We need to stitch together views from multiple cameras into a single continuous view that you can look around in wherever you want. Then, we need to find a way to make it efficient enough to stream every perspective the person might want to see simultaneously over a normal mobile connection.If you're interested in how we solve these problems, check out this video using an example of Blue Angels footage taken by USA Today.

Publicado por Mark Zuckerberg em Quinta, 21 de janeiro de 2016

A comparação é feita com um mapa mundi, onde o continente Antártico sempre aparece distorcido devido ao formato chapado da imagem. Pensando nisso, o Facebook utilizou uma tecnologia emprestada do mundo dos games e da modelagem 3D e aplicou as cenas em movimento em um cubo, com cada uma das seis faces representando o ponto de vista do usuário. Quando ele se mexe, o processamento entra em ação para alterar a perspectiva em tempo real, sem distorcer o clipe.

Assim, a empresa foi capaz de manter resolução e taxa de quadros por segundo inalteradas independentemente de para onde o usuário está olhando, e ainda obter um vídeo de maior qualidade ocupando 25% menos espaço nos servidores. Uma redução que, como aponta o próprio vídeo, é extremamente importante quando se opera em uma “escala Facebook”.

A importância dessa otimização é representada em números. Mark Zuckerberg não disse exatamente quantos vídeos em 360 graus estão disponíveis na rede social, mas afirmou que atualmente o consumo desse tipo de mídia está em uma média de oito bilhões de visualizações diárias em todo o mundo. Para se ter uma noção, em janeiro de 2015, eram “apenas” um bilhão.

Fonte: Mark Zuckerberg (Facebook)