Facebook exclui 66 mil publicações com discursos de ódio por semana

Por Redação | 29 de Junho de 2017 às 12h25

Nos últimos dois meses, o Facebook afirma ter excluído uma média semanal de 66 mil postagens que foram identificadas como discursos de ódio.

As informações publicadas nesta terça-feira (27) fazem parte da divulgação da política da rede social para combater postagens com conteúdos difamatórios, violentos e racistas, anunciada inicialmente em 2013. Além disso, a ação também visa acabar com postagens com notícias falsas e hoaxes que circulam pela rede.

"Nós nos opomos ao discurso de ódio em todas as suas formas e não o permitimos em nossa plataforma", disse Richard Allen, vice-presidente de Políticas Públicas do Facebook na Europa, Oriente Médio e África, em postagem no blog oficial da empresa.

"Nossa definição de discurso de ódio é qualquer conteúdo que ataque diretamente as pessoas por características como raça, etnia, origem nacional, afiliação religiosa, orientação sexual, sexo, gênero, identidade de gênero e deficiência ou doença grave", explicou o executivo.

Principais desafios do Facebook

No entanto, em alguns casos particulares, é muito difícil chegar a uma definição exata sobre o que constitui um discurso de ódio, uma vez que o uso de algumas palavras pode ter significado ambíguo. Além disso, identificar a verdadeira intenção do autor da postagem é um grande desafio, uma vez que elas podem ser utilizadas em contextos específicos.

Para lidar com a moderação dos conteúdos, o Facebook diz ter contratado 4.500 funcionários para fazerem a moderação das publicações, com planos para contratar mais pessoas para atuarem nesta tarefa no ano que vem.

Outra possibilidade que a companhia está estudando é a de utilizar inteligência artificial (IA) para realizar a filtragem automática de assuntos controversos.

No momento, a rede social depende, em grande parte, de denúncias feitas pelos usuários.

Via: Facebook

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.