Facebook diz que tem um “profundo respeito pela Justiça brasileira”

Por Redação | 29.07.2016 às 21:56
photo_camera Divulgação

Mais uma vez, o Facebook teve suas contas bloqueadas no Brasil após a companhia não fornecer à Justiça os dados do WhatsApp solicitados para auxiliarem o andamento de uma investigação policial. Há dois dias, a companhia de Mark Zuckerberg teve R$ 38 milhões bloqueados pela Justiça do Amazonas. Nesta sexta (29), a empresa se pronunciou dizendo respeitar profundamente a justiça do nosso país.

O Facebook disse ainda que cooperou com a investigação da Justiça do Amazonas, e que está pronto para “responder a quaisquer perguntas remanescentes.” Contudo, de acordo com o Ministério Público, a companhia dona do WhatsApp não cumpre as regras do Marco Civil da Internet por não fornecer os dados solicitados. Apesar do Facebook ter fornecido os dados a que tem acesso dos usuários investigados (como, por exemplo, seus dados cadastrais), a companhia não revelou o conteúdo das mensagens trocadas uma vez que essas informações não ficam armazenados em data centers hospedados no Brasil.

Sendo assim, para obter os dados desejados as autoridades brasileiras deveriam pedir o acesso a esses bancos de dados por meio de uma cooperação jurídica internacional estabelecida entre o Brasil e os Estados Unidos – onde fica a sede do Facebook.

Fonte: Estadão