Facebook diz que crescimento pode desacelerar e ações caem 7%

Por Redação | 03.11.2016 às 07:34

O Facebook anunciou seus resultados financeiros referentes ao terceiro trimestre do ano fiscal de 2016 nesta quarta-feira (02) e que sua receita cresceu incríveis 56%, saltando para US$ 7 bilhões no período. Mas, aparentemente, números tão bons quanto esses estão com os dias contados.

Pelo menos é isso o que falou a empresa aos seus investidores. Em uma reunião, David Wehner, CFO do Facebook, disse que daqui em diante os ganhos da empresa com publicidade provavelmente reduzirão "significativamente" devido à quantidade de anúncios que a rede social pode exibir a seus usuários sem comprometer a experiência de uso da plataforma.

Isso significa que daqui em diante o ritmo de crescimento que a empresa vem imprimindo nos últimos anos deve sofrer uma desaceleração já a partir do trimestre que vem. Nas palavras do próprio executivo de contas do Facebook, é um momento de investimentos agressivos e aumento substancial nos gastos.

"Eles [o Facebook] chegaram ao limite da quantidade de anúncios que podem exibir no feed de notícias, então eles terão de encontrar receita em outras áreas como engajamento dos usuários e crescimento na base de usuários", disse o analista da Edward Jones, Josh Olson.

A notícia, claro, foi recebida a contragosto pelo mercado financeiro e as ações do Facebook caíram 7% após o fechamento do pregão de ontem. Na manhã desta quinta-feira (03), enquanto esta matéria é escrita, a expectativa ainda é que os papéis sejam negociados em baixa de 6,42% quando a Bolsa iniciar suas operações.

Apesar do mau humor dos investidores, Olson relembra que a rede social já passou por um momento parecido como esse no passado. "Já passamos por isso, e o Facebook investiu em dispositivos móveis e valeu a pena. Então estamos vendo tudo isso também como uma oportunidade", destacou o analista.

Atualmente, os dispositivos móveis são responsáveis por 84% de toda a receita de publicidade do Facebook e cresceu 6% em relação ao terceiro trimestre de 2015. Além disso, a empresa disse ter ultrapassado a marca de 1 bilhão de usuários que acessam a rede social usando apenas dispositivos móveis.

Via VentureBeat