Facebook deve ser menos parcial ao apoiar vítimas de tragédias

Por Redação | 16.11.2015 às 15:01

Após lançar uma atualização que permitiu aos usuários adicionar um filtro com a bandeira francesa à sua foto de perfil para demonstrar apoio às vítimas dos atentados de Paris, o Facebook recebeu uma série de críticas por oferecer a opção de apoio a apenas uma nação enquanto outras tragédias acontecem ao redor do mundo.

No Brasil, por exemplo, usuários da rede social travaram uma espécie de batalha sobre qual tragédia era “mais importante”: o rompimento das barragens de rejeitos de mineração na cidade de Mariana (MG), que aconteceu no início do mês, ou o atentado terrorista em Paris, que aconteceu na última sexta-feira (13).

Além do mar de lama tóxica que soterrou diversas casas em Minas Gerais, outras causas foram lembradas, como as vidas perdidas em Beirute, Bagdá e Nigéria. Apesar da discussão sobre “qual tragédia é pior” ser extremamente desnecessária num momento como este, fato é que muitos não entenderam o motivo do Facebook aparentemente escolher a França entre tantos outros países para mostrar solidariedade.

Outra questão levantada foi o fato da ferramenta que permite que as pessoas digam que estão seguras durante um desastre ser liberada apenas em acontecimentos selecionados. Mais uma vez, o atentado de Paris foi listado na chamada "Confirmação de Status de Segurança", mas bombardeios realizados em outras regiões do mundo, assim como a tragédia mineira, não entraram na lista de "Marcar como seguro”do Facebook.

Confirmação de Segurança Facebook

Facebook permite marcar usuários como seguros durante alguns desastres (Imagem: Canaltech)

No último sábado (14), o CEO da empresa de rede social, Mark Zuckerberg, se manifestou oficialmente sobre o assunto por meio de um post dizendo que as pessoas estão certas em questionar a posição do site em relação aos desastres. Ele explicou que a Confirmação de Status de Segurança foi concebida para que as pessoas se marcassem como seguras em desastres naturais, mas que a empresa decidiu estender a ferramenta para desastres humanos.

"Obrigado a todos que nos atingiram com perguntas e preocupações sobre isso. Vocês estão certos que existem muitos outros conflitos importantes no mundo. Nós nos preocupamos com todas as pessoas igualmente e vamos trabalhar duro para ajudar quem sofre em todas as situações que pudermos", completou o executivo.

Alex Schultz, vice-presidente de crescimento do Facebook, também explicou que a empresa vai trabalhar para tornar suas ferramentas melhores e mais úteis, e isso pode incluir a expansão dos filtros de foto do perfil para demonstrar apoio a uma causa. "Também vamos continuar explorando como podemos ajudar as pessoas a mostrar apoio para as coisas com que se preocupam por meio de seus perfis no Facebook, como fizemos no caso de Paris”.

Sabemos que é muito difícil agradar a todos em um mundo onde opiniões divergem o tempo inteiro, mas permitir que as pessoas expressem seu apoio à causa que preferirem de forma justa pode ajudar o Facebook a se tornar realmente a comunidade global que afirma ser. Oferecer a opção de filtros com bandeiras de todos os países para mostrar apoio ou simplesmente orgulho nacional pode ser um passo pequeno, mas interessante neste sentido.

Foto França Facebook

Facebook oferece opção de mudar sua foto do perfil em solidariedade à França e ao povo de Paris (Imagem: Canaltech)

Com informações do The Next Web e Facebook