Facebook anuncia mudanças para amenizar polêmica sobre os Trending Topics

Facebook anuncia mudanças para amenizar polêmica sobre os Trending Topics

Por Redação | 23 de Maio de 2016 às 23h28
Divulgação

O caso dos Destaques norteamericanos do Facebook priorizarem notícias com direcionamento político liberal continua rendendo. A notícia mais recente diz que a rede social anunciou que implementará mudanças no funcionamento dos Trending Topics para colocar “panos quentes” na situação.

A partir de agora, a rede de Zuckerberg não utilizará mais uma lista de sites pré definidos para determinar se as notícias em destaque seriam válidas. Até então, os algoritmos e editores conferiam o conteúdo em questão em publicações como o New York Times ou Wall Street Journal para validar a notícia, mas as denúncias de que essa lista de sites usados como referência contaria apenas com veículos com viés liberal, excluindo os conservadores, fizeram com que a rede social ficasse praticamente sem defesa nessa acusação.

A rede social também reviu a nomenclatura de ferramentas utilizadas por seus editores nesse processo. O que antes era chamado de “blacklist” (ou “lista negra”) de sites, vai mudar para “revisit” (“rever”). A ferramenta “injection” (“injetar”), usada para adicionar assuntos aos Trending Topics, vai ser alterada para “topic correction” (“correção de tópico”).

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O anúncio da companhia de Zuckerberg também revelou os resultados da investigação realizada pela companhia a fim de apurar as denúncias de ex funcionários quanto ao direcionamento para preferirem conteúdos liberais. O Facebook disse que não foram encontradas evidências de que a manipulação ocorreu, de fato, e que ambos conteúdos liberais e conservadores eram igualmente aprovados para constarem nos Trending Topics.

Contudo, a investigação revelou que os revisores dos Destaques seguiam instruções para não aceitar a publicação de uma notícia se aquele determinado assunto não estivesse associado a alguma notícia já previamente publicada naquela lista de jornais pré aprovados, ou ainda em um perfil ou página verificados. O relatório também diz que “independente das descobertas dessa investigação, é impossível excluir a possibilidade de que, ao longo dos anos em que a ferramenta existe, um revisor específico não tenha tomado atitudes isoladas com algum motivo impróprio” – ou seja, “tirando o seu da reta” e dizendo que, caso algum conteúdo conservador tenha sido deliberadamente removido, pode ter sido uma decisão imprópria de algum dos ex-funcionários.

Fonte: Gizmodo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.