EUA quer que Facebook pague US$ 1,7 bi em novo caso de sonegação via Irlanda

Por Redação | 13 de Outubro de 2016 às 10h03

Se você teve um pequeno caso de Déjà vu ao ler o título, não se preocupe: a Apple não é a única empresa do setor de tecnologia envolvida em imbroglios com autoridades e governos por disputas por impostos não pagos.

Assim como a empresa de Cupertino e seu enrolo com a União Europeia, o Facebook também está sendo acusado pelo órgão da Receita dos Estados Unidos de ter se aproveitado da famigerada técnica apelidada de "Double Irish" – que consiste no estabelecimento de operações em Dublin, na Irlanda, para tirar proveito da legislação fiscal mais "tranquila" do país europeu e evitar o pagamento de impostos em outras regiões.

De acordo com o Internal Revenue Service (IRS), órgão equivalente à Receita Federal dos Estados Unidos, a rede social teria ido um pouco longe demais com o movimento em 2010, devendo agora cerca de US$ 1,7 bilhão (cerca de R$ 5,4 bilhões) aos cofres públicos do país.

O Facebook já entrou na Justiça contra a IRS, pedindo que a Corte Fiscal dos EUA reveja os valores pedidos pela Receita do país. De acordo com a empresa de Mark Zuckerberg, os repasses de receita da subsidiária Facebook Ireland Holdings Ltd para a cede norte-americana foram de US$ 5,8 bilhões no ano, não de US$ 14 bilhões, como indicado pela IRS – o que derrubaria o valor devido pela rede social em impostos.

Em julho, o Facebook já havia alertado investidores para se prepararem para um possível movimento da IRS, que tem fechado o cerco em empresas do setor para extinguir a prática do "Double Irish" até 2020.

A coisa pode ficar ainda mais complicada para a rede social: além do pagamento de US$ 1,7 bilhão pedido em referência ao ano de 2010, a IRS pode também avaliar impostos devidos de anos subsequentes, o que poderia elevar a dívida do Facebook em até US$ 5 bilhões – isso sem contar juros e possíveis multas.

Fonte: ArsTechnica