Siga o @canaltech no instagram

Estudo linka uso excessivo de Facebook com comportamento de viciados em drogas

Por Wagner Wakka | 10 de Janeiro de 2019 às 19h32
Reprodução
Tudo sobre

Facebook

Saiba tudo sobre Facebook

Ver mais

Um estudo da Universidade do Estado de Michigan está buscando entender a relação de vício em redes sociais e a consequência para a saúde humana. O trabalho encontrou uma proximidade muito grande em comportamento de pessoas com uso excessivo de redes sociais ao viciados em drogas.

Os cientistas criaram um mecanismo de testes com grupos de pessoas que utilizam redes sociais de forma auto-declaradamente abusivas (chamados de SNS, pela sigla em inglês) e outro de controle. Assim, perceberam que as pessoas de alta utilização de redes sociais tiveram mais dificuldades em terminar o problema.

No total, foram 71 participantes, a maioria mulheres (44) entre 18 e 25 anos que fizeram um teste chamado de Iowa Gambling Task. Conforme explica Daniela Di Giorgio Schneider, em trabalho publicado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, este é um instrumento voltado a entender tomadas de decisão:

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

“Esse instrumento contempla uma situação de tomada de decisão sob incerteza, que envolve escolhas monetárias, permitindo classificar o comportamento de decisão do indivíduo em termos de aversão ou busca pelo risco. A tarefa envolve escolhas de uma carta, ao longo de 100 jogadas (cinco blocos de vinte jogadas cada), de um dentre quatro baralhos. Cada um desses trabalhos inclui uma longa série de ganhos e perdas. A partir de um processo de aprendizagem, os participantes criam padrões de probabilidade e inferem quais baralhos são vantajosos e quais não o são”, explica no trabalho. No caso do trabalho americano, o grupo usou uma versão digital do teste.

Divididos em grupos, os pesquisadores puderam avaliar não só as decisões, mas ainda definir categorizações relacionadas a depressão, ansiedade, dificuldades sob pressão e outros ambientes.

Com isso, os pesquisadores perceberam que o grupo SNS mostrou mais dificuldade em tomar decisões sob pressão que o controle. Ainda, o grupo compara o comportamento do grupo SNS com o de pessoas que abusam de drogas.

“Levando isso em consideração, nossa descoberta atual, que demonstra uma semelhança comportamental entre uso excessivo de SNS [redes sociais] e comportamento de uso e vício em substâncias, podem influenciar as crenças e práticas de formuladores de políticas, terapeutas e líderes do setor de tecnologia. Nossa pesquisa fornece um ponto de referência para esses indivíduos discutirem e abordarem o uso excessivo de SNS em suas respectivas profissões”, conclui o texto.

Contudo, o trabalho também reconhece as suas limitações. Primeiro, leva em conta somente usuários do Facebook, não mostrando qual a consequência de uso em outras redes sociais. Ainda, também recortou o seu escopo e personagens por um sistema de autodeclaração. Isto é, quando o próprio usuário se entende como usando demais as redes sociais.

Mesmo assim, a conclusão pode iniciar o debate de que há uma relação comportamental entre estes abusos.

O trabalho foi publicado no mês passado no Journal of Behavioral Addictions e está disponível gratuitamente pelo site da Universidade.

Fonte: Akademia, UFRGS

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.