Erro do Twitter resulta em invisibilização das causas bissexuais

Por Redação | 06 de Novembro de 2017 às 17h36
divulgação
Tudo sobre

Twitter

Saiba tudo sobre Twitter

Ver mais

A homofobia é um problema freqüente. Mas pouca gente presta atenção no preconceito específico contra indivíduos bissexuais. Vista como um estado de indecisão, a sexualidade bi é tida como menos digna de respeito que a homossexualidade e a heterossexualidade. Essa violência faz com que jovens bissexuais de todo o mundo estejam num grupo de risco aumentado para suicídio, mesmo em comparação com jovens homossexuais.

Entretanto, no início da tarde de ontem, a conta de suporte ao usuário do Twitter publicou em seu perfil que alguns erros foram encontrados nos mecanismos de busca. Não foram dados muitos detalhes.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Após a nota, entidades de apoio às pessoas bissexuais e seus representantes publicaram críticas e exigiram políticas de segurança contra a discriminação por sexualidade. Na semana passada, a empresa veiculou conteúdo detalhando quais comportamentos não mais seriam tolerados na rede e, dentre os tópicos abordados, a discriminação por sexualidade constava como uma das preocupações do Twitter com a segurança dos usuários. 

Chase Strangio, advogado do projeto ACLU LGBT & HIV, respondeu à publicação do Twitter questionando a empresa acerca da morosidade em garantir políticas de proteção à população LGBT, insinuando que o que estava sendo tratado como mera negligência talvez seja parte de ações bifóbicas ativas e deliberadas por parte da rede social.

A BiPride UK, grupo de ativistas contra a bifobia do Reino Unido, também se pronunciou a respeito, pressionando o Twitter a adotar políticas de segurança para garantir o uso harmônico da rede.

O bug no mecanismo de busca já foi corrigido e a hashtag #bissexual já voltou a funcionar. Mas as discussões acerca da bifobia estão mais acaloradas do que nunca.

 

 

Fonte: Fox News

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.