Como utilizar o LinkedIn para encontrar o emprego dos seus sonhos

Por Colaborador externo | 11 de Maio de 2015 às 07h18

Por Renato Lopes*

Constantemente me deparo com colegas nas redes sociais buscando oportunidades de trabalho, cansados de tanto enviar currículo e fazer cadastros em sites de emprego. E quando esses colegas me indagam sobre o que fazer para se sobressair nesse concorrido mercado de trabalho, uma das primeiras perguntas que faço é se eles já possuem um perfil no LinkedIn.

LinkedIn? A rede social? Sim! Mas acreditem, muitos deles não sabem o que é (e olha que estamos falando sobre profissionais de TI) e outros até conhecem, mas acreditam que não funciona ou que não terão resultados.

Mas o que essas pessoas não sabem é que o LinkedIn é uma poderosa ferramenta para quem busca novas oportunidades de emprego – desde que bem utilizado, claro. O LinkedIn é uma rede social corporativa, onde as pessoas criam seus perfis para falar de sua vida profissional, acadêmica, conquistas profissionais e projetos importantes. A ideia principal é que seu perfil seja atrativo, sendo um chamariz para possíveis contratantes e empresas.

E como deixar seu LinkedIn mais atraente? Acompanhe algumas dicas de como ter um perfil campeão!

Vamos começar pelo preenchimento das informações. Em seu histórico profissional, comece falando sobre a empresa mais atual e termine com a mais antiga. Caso você tenha um histórico profissional muito antigo e que não tenha correlação com a atividade atual, não coloque – exceto quando alguma atividade dentro desta função te qualificou para a posição que busca atualmente.

Em todas as funções, adicione projetos e conquistas. Isso mostra seu diferencial na função exercida, já que descrever atividades que são inerentes à função não é nenhum diferencial. Nem sempre essas conquistas podem estar atreladas a questões técnicas ou a função em si, mas se foi algo que contribuiu para o negócio ou para a melhoria de um processo, é de grande valia para o conhecimento dos recrutadores.

Agora um ponto extremamente importante: coloque palavras que identifiquem o seu diferencial ou pelas quais você quer ser encontrado. Por exemplo, se você é especialista em determinada ferramenta ou processo, adicione isso aos seus conhecimentos e, de forma coloquial, adicione ao seu título. Isso pode facilitar a busca do recrutador e colocar você de forma destacada dentro da abundância de profissionais nessa rede.

Não se esqueça de preencher sua vida acadêmica incluindo cursos extracurriculares, mesmo que não sejam da área, mas que apoiem o seu dia a dia. Por exemplo, um workshop de inteligência emocional ou de programação neurolinguística que auxiliam na comunicação em qualquer área, afinal, a comunicação é essencial em qualquer local de qualquer nível.

Ainda na vida acadêmica, existem projetos e conquistas que podem demonstrar traços de liderança e trabalho em equipe. Pode ser até uma monografia de uma ideia inovadora (nesse caso, vale inserir a dissertação na rede e até o arquivo como demonstração).

Trabalhos sociais e de apoio à sustentabilidade ambiental são muito valorizados hoje em dia, pois empresas buscam profissionais que tenham os mesmos valores que elas. Assim, o compartilhamento entre membros é maior, bem como a busca por um “casamento ideal”. Mostre quais os desafios aceitos no decorrer de sua carreira e quais desafios você busca trilhar. Assim, quem aprecia seu perfil sabe o que te motiva.

A foto do seu perfil deve ser algo que te represente como característica. O recrutador precisa olhar sua foto e traçar um possível perfil de alguém perfeccionista, sério ou de alguém comunicador e sociável. Mas lembre-se, essa é uma rede corporativa e as fotos devem seguir a mesma linha. Não vou aqui citar tipos ou modelos de fotos, mas vale o bom senso e até pesquisar e analisar perfis no mesmo modelo do seu para comparação.

Se você fala mais de uma língua (o que hoje é quase obrigatório no mercado de trabalho), crie perfis nesses idiomas e, como sugestão, caso tenha um perfil em inglês, deixe-o como perfil principal. Assim, as vagas que exigem fluência serão buscadas mais rapidamente pelas palavras-chave, já que a busca por um gestor, por exemplo, será uma busca como “manager”, e o perfil em inglês facilitará te encontrar. Mas atenção, essa dica só vale se você tiver fluência na língua. Tradutores online não servem para essa finalidade e, pelo contrário, podem até denegrir o seu perfil. Se o seu nível é técnico ou intermediário, é melhor adicionar essa informação ao seu perfil em português.

Adicione quais são seus interesses como, por exemplo, novas oportunidades, novos negócios, parcerias, estudos... Assim, todos saberão o que você realmente está buscando na rede.

Após completar seu perfil com as palavras-chave certas e bem estruturado, chegou o momento de você se conectar a empresas e pessoas do seu interesse, para que assim possa não só buscar oportunidades, mas compartilhar conhecimentos e projetos. Acredite, a ajuda mútua faz com que você seja lembrado em oportunidades futuras.

Seja seletivo. Lembre-se que o LinkedIn é uma rede social corporativa, portanto, busque qualidade e não quantidade. A diversidade de suas conexões também é importante, devendo ser composta por possíveis contratantes ou pessoas do mesmo nível de área ou com funções similares a você. Com eles, você poderá compartilhar informações, trocar experiências, soluções, etc. Já ao buscar pessoas com conhecimentos menores que o seu, existe a oportunidade de auxiliá-las e ganhar pontos no mercado. Enfim, independente do nível de suas conexões, existe uma troca, um jogo de ganha-ganha.

Siga empresas do seu interesse. Assim, receberá informações de novas vagas e de novidades de crescimento dessa empresa, afinal, saber um pouco sobre onde você almeja um cargo vale muito em uma possível entrevista, já que mostra o seu interesse na história dela. E ao se candidatar para uma vaga, é interessante que você se conecte ao recrutador para gerar uma maior proximidade.

É de bom tom escrever um texto de apresentação direcionado a cada um dos membros que pretende se conectar, pedindo a conexão e gerando proximidade. Essas conexões podem ser feitas através de grupos de discussões, onde nesse caso vale a regra somente para quem entrar no grupo e for participativo, não ser só ouvinte, seja para aprender ou para ensinar. Essa também é uma forma de gerar novas conexões e ser lembrado.

Por fim, faça publicações que ache interessante e que irá ajudar os outros dentro do mundo corporativo, seja com dicas ou algum material de interesse público. Mantenha atualizado seu perfil e contatos sempre, e não apenas quando estiver em busca de uma nova oportunidade no mercado de trabalho. E uma dica não só para o LinkedIn, mas para toda sua vida profissional: esteja sempre aberto ao mercado, independente do seu estado atual, pois a boa oportunidade é estar na hora certa e no lugar certo, mesmo que no mundo virtual!

*Renato Lopes é Gestor da área de TI e acredita que a humanização dessa área é a chave para conquistar equipes de alta performance e auto gerenciáveis. Palestrante e Professor Universitário, Renato busca compartilhar técnicas e soluções para formar times vencedores e entusiastas, buscando a qualidade de vida junto à satisfação do trabalho.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.