Como fazer sua empresa acontecer nas redes sociais?

Por Rodolfo Ohl

Sabemos que a competição por atenção e engajamento dos usuários nas redes sociais está cada vez mais acirrada. O alcance orgânico está em processo de declínio e esta trajetória de queda poderá ser acentuada nos próximos anos. Um dos maiores desafios das empresas e marcas é criar conteúdos relevantes que atraiam e promovam o engajamento da audiência. O foco agora é cada vez mais conseguir ser assertivo em relação aos temas que podem interessar aos seus interlocutores - e, muitas vezes, nem isso é suficiente.

Para que as empresas tenham sucesso nesta empreitada, é necessário criar conteúdo verdadeiramente relevante. Para isso, precisam então conhecer o perfil e as motivações da sua audiência. Além de observar cotidianamente o que os internautas mais comentam na rede, as empresas podem ainda realizar pesquisas para conhecer melhor este público.

Muitas organizações já recorrem à SurveyMonkey para conhecer o perfil de seus interlocutores, o que as auxilia a ajustar a mensagem e o canal para cada informação a ser comunicada, alinhando assim o discurso de acordo com o objetivo. Fazer um levantamento minucioso de como se comporta a sua audiência no seu dia a dia e dos assuntos que mais podem chamar a sua atenção podem ser importantes pontos de partida para definir a melhor abordagem e o canal mais adequado para esta aproximação.

O Facebook, por exemplo, pode ser uma excelente ferramenta para disseminar determinada ideia e não ser adequada para alguma outra. O mesmo acontece em relação ao Twitter, Instagram, LinkedIn, Google Plus, Youtube, Pinterest, Tumblr, entre outras. Cada rede tem sua peculiaridade e forma de compartilhar conteúdo.

Recentemente, foi realizado um estudo pela SurveyMonkey, em parceria com Social@Ogilvy, com o objetivo de entender as motivações que levam as pessoas a compartilharem um post nas redes sociais. Esta pesquisa abarcou 16 países, incluindo o Brasil, e obteve respostas de mais de 6.500 usuários de redes sociais.

O Brasil tem um grande potencial para o desenvolvimento de conteúdos para redes sociais: 71% dos brasileiros compartilham informações que consideram interessantes, por meio de seus celulares, tablets ou desktops. Somos o terceiro país do mundo em compartilhamento nas mídias sociais. Os usuários de internet no Brasil gastam mais tempo online do que em outros países integrantes dos BRICs (Brasil, Rússia, Índia e China). Segundo estudo da comScore, o Brasil é responsável por 10% do tempo total consumido globalmente em redes sociais.

Esta mesma pesquisa mostrou que os conteúdos relacionados a emoção são os mais compartilhados pelos brasileiros. Outro ponto muito relevante identificado pelo levantamento foi o tipo de conteúdo compartilhado de acordo com a faixa etária. Jovens e adultos têm interesses e motivações diferentes para fazê-lo. Manter o contato com as pessoas é a razão para replicar algum conteúdo para 34% dos entrevistados acima dos 40 anos, enquanto apenas 15% das pessoas abaixo desta faixa etária fazem tal afirmação.

Algumas recomendações para criação de conteúdos:

  1. Faça seu conteúdo ser verdadeiramente relevante. Conheça o perfil e motivações da sua audiência.
  2. Não enfoque em torná-lo viral. O post poderá por si só ganhar tração e viralidade como consequência de um conteúdo relevante para seu público.
  3. Mantenha-se leal ao DNA de sua empresa e marca (consistência e coerência são palavras nas quais você deve pensar com carinho e devem nortear suas ações).

A mensagem final para as empresas, marcas e profissionais de mídia social é que o brasileiro gasta muito tempo online, navega muito nas redes sociais e gosta de compartilhar. Mas por outro lado, o alcance orgânico está cada vez menor. Então cabe à empresa conhecer seu interlocutor e não apenas expor para ele suas ideias. Saber as potencialidades de cada rede social é taxativo para uma comunicação efetiva. O que as empresas têm que ter em mente é que estamos vivendo um momento em que é preciso dialogar com o internauta – ou seja, trocar experiências e informações de acordo com interesses mútuos.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.