Aplicativo Internet.org, do Facebook, completa 1 ano

Por Redação | 27 de Julho de 2015 às 12h47

O aplicativo Internet.org, do Facebook, está completando um ano desde o seu lançamento na Zâmbia. Apesar de sofrer com a resistência por parte de alguns países, o Internet.org já está disponível para mais de 1 bilhão de pessoas em 17 países da África, América Latina e Ásia.

O projeto Internet.org visa reunir líderes de tecnologia, organizações sem fins lucrativos e comunidades locais, com o objetivo de conectar os dois terços do mundo que não têm acesso à Internet. Apesar da ideia parecer muito nobre, o Facebook tem enfrentado diversos desafios na implantação e popularização do serviço por supostamente violar a neutralidade da rede.

"No último mês, pessoas acessaram informações sobre saúde mais de um milhão de vezes usando o Internet.org, o que ressalta o nosso maior objetivo; ajudar as pessoas e ter impacto em suas vidas", diz o Facebook por meio de um post.

O Internet.org traz novos usuários para redes móveis em média 50% mais rápido, a partir do lançamento dos serviços gratuitos básicos. Mais da metade das pessoas que foram conectadas por meio do Internet.org estão pagando por planos de dados e acessando toda a internet logo nos primeiros 30 dias. Isso quer dizer que, além de levar conectividade, o projeto também mostra às pessoas o valor da internet e pretende acelerar sua adoção.

"Com o avanço do projeto, reunimos todo o aprendizado decorrente do trabalho desenvolvido junto aos nossos parceiros e agora estamos prontos para ampliar a escala dos serviços básicos do Internet.org. Tornamos mais fácil para que qualquer operadora móvel ative o Internet.org em novos países por meio de um portal para parceiros que traz informações técnicas e boas práticas, melhorando o processo de oferecer esses serviços aos que ainda não estão conectados", diz o Facebook.

O Internet.org já oferece acesso gratuito via telefones celulares a sites como Wikipedia, Google, serviço de aconselhamento e prevenção contra o HIV, aplicativos relacionados ao direito das mulheres e uma plataforma de busca de emprego, bem como acesso ao Facebook e ao Messenger.

O projeto possui ainda um laboratório de inovação que foi criado em colaboração entre a Ericsson e o Facebook. Ele visa ajudar os desenvolvedores a entender como os aplicativos funcionarão em diferentes partes do mundo e possui um ambiente de testes que simula uma variedade de condições de rede, dando aos desenvolvedores uma maneira de garantir que seus aplicativos sejam executados mesmo em áreas muito remotas.

Fonte: Facebook

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.