Anunciante retira propaganda do Twitter após exibição em perfis pornográficos

Por Redação | 07 de Maio de 2015 às 09h59

O Twitter é reconhecido por ser uma rede social livre, onde qualquer tipo de conteúdo pode ser postado – desde que, claro, não rompa as barreiras da lei nem representem abuso ou violência, uma moderação que começou a ser mais intensa recentemente, inclusive. E foi justamente esse aspecto livre que fez com que a rede social acabasse tendo problemas com um de seus anunciantes, que solicitou a remoção de propagandas após vê-las aparecendo em perfis pornográficos.

O cliente é a Nielsen, uma empresa de análise dos mercados televisivo e digital. Ela estava anunciando um seminário online sobre compra de espaço publicitário e solicitou a remoção da mensagem patrocinada depois que elas apareceram em dois perfis de publicação de fotos íntimas. As páginas Daily Dick Pictures e Homemade Porn dispensam tradução para o português e acumulam milhares de seguidores, mas passam longe do público pretendido pela propaganda.

O Twitter teria se desculpado à empresa e afirmado que a aparição dos anúncios em páginas impróprias foi causada por um bug, que já teria sido resolvido. Mesmo com a garantia de que as propagandas não apareceriam mais em perfis pornográficos ou explícitos, a Nielsen retirou sua campanha do ar e, inclusive, apontou para o fato de que anúncios de outras companhias, como NBC Universal e Gatorade, também estariam aparecendo lado a lado com imagens impróprias.

A rede social utiliza um sistema de “Tweets Patrocinados” como carro-chefe de sua oferta publicitária. Mais presente no acesso à rede por dispositivos móveis, postagens de anunciantes aparecem em meio à linha do tempo normal dos usuários, exibindo propagandas e mensagens pagas. Essa distribuição, claro, acontece de maneira segmentada, já que a ideia é que o usuário apenas enxergue comerciais de marcas pelas quais se interessa, de forma a aumentar a eficácia do sistema.

Em resposta à notícia, o Twitter reforçou seu comprometimento com um ambiente seguro não apenas para empresas e anunciantes, mas também para os próprios usuários. Ela admitiu que propagandas foram exibidas ao lado de conteúdo inapropriado, mas que está trabalhando para garantir que isso não aconteça mais. A Nielsen, porém, não confirmou a remoção da campanha, mas seus anúncios, aparentemente, não estão mais dando as caras na rede do passarinho azul.

Fontes: Ad Week, Business Insider

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.