Twitter divulga dados de gênero e diversidade dos funcionários

Por Redação | 24.07.2014 às 14:00

O Twitter divulgou ontem (23) seu relatório de gênero e etnia dos funcionários, após pressão do “Rainbow Push Coalition”, um grupo liderado pelo reverendo Jesse Jackson que luta pelos direitos civis nos Estados Unidos, informa o site IT World.

Seguindo o que já foi demonstrado por outras empresas tecnológicas, como Google, Facebook e Yahoo, o relatório do Twitter mostrou predominância de homens e brancos em suas vagas e número reduzido de mulheres e negros. As empresas têm sido pressionadas por Jackson, que iniciou uma campanha que visa destacar a sub-representação de negros nas companhias do Vale do Silício.

Segundo o que foi divulgado por Janet Van Huysse, vice-presidente do Twitter, em um post do blog, equipes com mais diversidade são melhores na tomada de decisão e empresas com mulheres em cargos de liderança produzem resultados financeiros melhores. No entanto, ela assumiu que ainda há “muito trabalho a ser feito”.

twitter funcionários

Os homens são a grande maioria da força de trabalho na empresa, sendo 70% do total de empregados. Eles representam 90% da equipe de tecnologia e 50% do pessoal não técnico. Homens também compõem 79% das lideranças da empresa. Segundo o Twitter, são cerca de 3 mil funcionários em todo o mundo, sendo que 50% são engenheiros.

Entre os empregados do Twitter nos Estados Unidos, 59% deles são brancos, 29% são asiáticos, negros representam 2% e trabalhadores hispânicos ou latinos são 3% do total. A empresa divulgou apenas os dados dos funcionários dos Estados Unidos.

twitter funcionários

Para diminuir a disparidade no seu quadro de funcionários, o Twitter divulgou algumas iniciativas das quais faz parte na busca por um maior equilíbrio e diversidade entre seus funcionários. A empresa é apoiadora da iniciativa “Girls Who Code”, e hospedou dois programas de imersão do projeto em San Francisco, Nova York e Boston, assim como do “Girl Geek Dinners” e do “sf.girls” que incentiva meninas do ensino médio a seguir carreira na área de tecnologia.

A empresa ainda patrocina conferências voltadas para grupos sub-representados como “Out for Tech” e “Grace Hopper”, além de apoiar iniciativas destinadas às mulheres como Technovation, Techwomen, LEAD Instituto Ciência da Computação, PyLadies e Black Girls CODE.

Apesar das iniciativas, a “Rainbow Push Coalition” afirmou que mais de 25 mil petições foram entregues ao Twitter na semana passada para que ele liberasse dados de diversidade entre os funcionários. Em parceria com o grupo ColorOfChange.org, as organizações afirmaram que “não há déficit de talentos, há um déficit de oportunidades”, criticando a dificuldade de empresas de tecnologia em contratar e manter mulheres e minorias em seus quadros de funcionários.

Fonte: https://blog.twitter.com/2014/building-a-twitter-we-can-be-proud-ofhttp://www.itworld.com/it-management/428455/twitter-employees-mainly-male-and-white-says-it-has-lot-work-do