Twitter começa a bloquear mensagens contra o governo turco

Por Redação | 26.03.2014 às 16:30
photo_camera Mashable

Como uma maneira de combater o próprio banimento na Turquia, iniciado após um decreto governamental, o Twitter anunciou o uso de uma ferramenta que bloqueará a visualização de mensagens irregulares por cidadãos do país. A funcionalidade, chamada Country Withheld Content, não apaga o conteúdo e permite que ele seja visto apenas fora das jurisdições nas quais ele foi contestado.

O bloqueio foi emitido na semana passada pelo governo turco, após ordem do primeiro ministro Recep Tayyip Erdogan. Na iminência de eleições gerais, usuários do Twitter no país começaram a usar a ferramenta para criticar a administração, incluindo o próprio líder. A movimentação se tornou internacional e acabou motivando a ordem de banimento.

Com a Country Withheld Content, o Twitter será capaz de bloquear mensagens de cidadãos turcos ou usuários internacionais que contenham conteúdo considerado ilegal pelo governo. Além disso, informações sobre o processo de banimento também serão censuradas, mas todos os afetados tomarão conhecimento do bloqueio e saberão que estão impossibilitados de acessar as mensagens devido a uma ordem judicial.

A rede social também deixou claro que não entregou dados de seus usuários para autoridades governamentais e elogiou a decisão de um tribunal turco, que considerou o banimento inconstitucional. A expectativa é que o acesso ao Twitter seja restabelecido ainda nesta quarta-feira (26), apesar do governo ser capaz de contestar a decisão em uma tentativa de revertê-la.

No início de março, o Facebook e o YouTube foram alvos de ameaças semelhantes por parte do governo da Turquia, mas não chegaram a ser bloqueados. Erdogan é o primeiro ministro do país há mais de dez anos e, desde 2013, vem sendo acusado de autoritarismo devido à reação violenta da polícia durante protestos que criticavam a administração do país.