Twitter cancela projeto que daria mais segurança às mensagens diretas

Por Redação | 19 de Março de 2014 às 12h45

Sempre na vanguarda no que toca os sistemas de segurança da informação, o Twitter teria interrompido o desenvolvimento de um projeto que adicionaria uma nova camada de criptografia às mensagens diretas. As informações foram reveladas pelo The Verge e dão conta que os trabalhos teriam sido cortados sem maiores explicações, uma atitude que soou como surpresa até mesmo para quem estava envolvido neles.

A ideia original era impedir o acesso de pessoas não-autorizadas às DMs, que são trocadas de forma confidencial entre os perfis e não estão disponíveis para o público. As mensagens também devem respeitar o limite de 140 caracteres da rede social e exigem que os usuários se sigam mutuamente para que possam conversar.

O projeto teria surgido após os escândalos de espionagem da NSA, que utilizou de vigilância ostensiva para obter dados confidenciais dos usuários norte-americanos e estrangeiros para fins de segurança nacional. Para o Twitter, a segurança de seus usuários é primordial e os novos métodos de criptografia estavam sendo criados para, justamente, impedir o acesso de hackers maliciosos ou órgãos governamentais.

Quando contatato pelo The Verge, o Twitter não comentou sobre o fim da iniciativa. Mas o site especula que se trata de uma priorização de sua equipe de desenvolvimento e não de mudanças na política da empresa, que sempre esteve na vanguarda dos sistemas de segurança e permanece assim até hoje. Mudanças no sistema de mensagens diretas como um todo, por exemplo, estariam na lista de tópicos importantes para o futuro próximo.

Nada, porém, está permanentemente descartado. Conforme explicam as fontes ouvidas pelo veículo, o projeto apenas desceu para os setores inferiores da lista de prioridades do Twitter e não deve ser colocado em prática novamente durante, pelo menos, os próximos dois trimestres. Mais adiante, por outro lado, os sistemas avançados de criptografia podem voltar à pauta e acabar vendo a luz do dia.

A reportagem do The Verge lembra também que, apesar da notícia, outros esforços de segurança continuam sendo aplicados pelo Twitter. É o caso, por exemplo, de mudanças no sistema de geração de chaves de segurança e o envio de emails criptografados para os usuários, de forma a evitar interceptação e obtenção de informações pessoais.

Além disso, a rede social notoriamente contesta judicialmente os pedidos de entrega de dados confidenciais e as chamadas “gag orders”, que impedem os provedores de serviços de informar aos investigados que eles estão sob atenção das autoridades. O Twitter também foi um dos primeiros opositores do programa PRISM, que facilitava o acesso da NSA às informações pessoais dos usuários de diversos serviços online.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.