Terceira vez: Estudante austríaco move nova ação coletiva contra Facebook

Por Redação | 02 de Agosto de 2014 às 16h38

Pela terceira vez, o estudante de direito austríaco Max Schrems moveu um processo contra o Facebook. Desta vez, a ação coletiva está acusando o site de ajudar a agência de inteligência norte-america NSA a espionar seus usuários.

Na ação, Schrems pede uma indenização de US$ 670 por usuário com base em alegações de violação de privacidade da rede social, explica uma matéria do site TG Daily.

De acordo com o estudante, o Facebook teria ajudado a NSA e o programa do governo dos Estados Unidos PRISM a vigiar cidadãos europeus.

"Queremos mostrar para a indústria dos EUA que eles têm que respeitar os direitos fundamentais se eles querem fazer negócios na Europa", afirmou Schrems em uma entrevista. "Nós amamos a tecnologia, mas nós queremos ser capazes de usar as coisas sem preocupação constante com a nossa privacidade. Hoje você tem duas opções: viver como na idade da pedra ou tomar uma atitude. Decidimos pela segunda".

No ano passado, Schrems já tinha processado o Facebook junto à Comissão de Proteção de Dados (DPC) irlandesa. Na ocasião, o estudante pediu que o site enviasse toda a informação que tinha sobre ele. Ele recebeu 1,2 mil páginas de documentos.

Em 2012, ele já havia sido bem sucedido em sua primeira ação, que obrigou a rede social a desativar a função de reconhecimento facial para sugestão de taggeamento de pessoas em fotos.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.