Talibã usa o Twitter para assumir autoria de assassinato no Afeganistão

Por Redação | 19.09.2013 às 10:30

O Talibã assassinou um oficial sênior da eleição afegã e, em seguida, usou o Twitter para se vangloriar do ato. Dois integrantes do movimento fundamentalista que estavam em uma moto atiraram contra Mohammad Amanullah, chefe da Comissão Independente Eleitoral do Afeganistão, nesta quarta-feira (18).

O The New York Times relatou que os rebeldes alegam que esse foi o primeiro ataque contra um funcionário da Comissão nos últimos anos. Os disparos aconteceram no início da manhã dessa quarta-feira, por volta das 8h45, e poucos minutos depois o porta-voz oficial do Talibã, Zabihullah Mujahid, escreveu na rede de 140 caracteres.

"Às 9 AM, o engenheiro Mohammad Aman, chefe da Comissão Independente Eleitoral do Afeganistão, foi morto por nossos Mujahedin na cidade de Kunduz, na área Takharistan", dizia o tweet. A palavra mujahedin significa "combatente".

A comissão eleitoral afegã confirmou a morte de seu integrante, mas disse que, apesar da alegação do Talibã, ainda era muito cedo para concluir o mandante do assassinato. "Vamos esperar até que a investigação seja concluída pelos órgãos de segurança e, em seguida, dizer quem estava por trás deste ataque", disse Noor Ahmad Noor, um porta-voz da comissão.

Os esforços dos insurgentes para chamar a atenção para o assassinato de um oficial podem significar que o grupo decidiu tentar perturbar as eleições com mais vigor do que fizeram no ano passado. O aumento da violência contra os funcionários eleitorais podem impedir alguns eleitores de irem até às urnas em abril de 2014 para uma eleição que é considerada pela comunidade internacional um marco importante, assim como a retirada das forças militares da região.