Snapchat terá que mudar marketing e política de privacidade

Por Redação | 08 de Maio de 2014 às 18h09
TUDO SOBRE

Snapchat

O Snapchat, app de troca de mensagens, fotos e vídeos efêmeros, está sob o olhar cuidadoso da Federal Trade Comission (FTC). Ação movida pela agência independente e reguladora do mercado estadunidense acusa a ferramenta para dispositivos móveis de fazer propaganda enganosa e de não preservar adequadamente os dados de seus usuários.

Segundo o Venture Beat, o FTC alega que há inúmeras maneiras de conseguir guardar ou recuperar arquivos que deveriam "sumir para sempre", de acordo com a promessa do próprio Snapchat.

Em comunicado, a executiva da agência, Edith Ramirez, ainda diz que aplicativos de terceiros – muitos deles já baixados milhares de vezes – são capazes de encontrar e gerenciar conteúdo que nem deveria existir, já que a função do Snapchat seria justamente eliminar as informações após a conversa.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Além disso, o FTC acusa o Snapchat de transmitir a geolocalização dos usuários de Android, mesmo com sua Política de Privacidade dizendo o contrário. Outras reclamações descrevem formas de recuperar mensagens de vídeo em aparelhos da Apple com versões inferiores ao iOS7 e falhas na função "Find Friends" (Encontre Amigos).

O caso fica ainda mais grave porque o Snapchat já foi alertado sobre inúmeras brechas de segurança e uma delas, justamente na função "Find Friends", causou o vazamento de mais de 4,6 milhões de nomes e número de telefones de usuários. E, mesmo depois de novas medidas de defesa, o aplicativo continua sendo considerado alvo fácil para hackers.

O Snapchat já vem realizando algumas mudanças e prometendo melhorias, no entanto, foi obrigado a assinar um acordo com o FTC, comprometendo-se a alterar sua estratégia de marketing e a Política de Privacidade. Além disso, o aplicativo ficará sob monitoramento de um profissional privado independente durante os próximos 20 anos.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.