SP: Internautas querem ajudar ciclista atropelado a comprar braço mecânico

Por Redação | 13 de Março de 2013 às 11h29

No último domingo (10) o ciclista David Santos Souza foi atropelado na Avenida Paulista, São Paulo, e teve o braço arrancado durante o acidente. Muitos internautas se solidarizaram com o caso e utilizaram as redes sociais para realizar campanhas em prol da vítima.

No mesmo dia do acidente, defensores dos direitos dos ciclistas se reuniram na famosa avenida da cidade para manifestar sua indignação com o caso, e agora criaram um novo evento no Facebook para convidar as pessoas a protestar no próximo dia 17.

"Não foi um acidente, foi uma tentativa de homicídio. Se continuar dessa maneira teremos protestos todas as semanas", diz um dos manifestantes na página do evento.

Além disso, duas campanhas também tentam atrair internautas para colaborar com duas causas: doação de sangue para a vítima e para reposição do banco de sangue, e outra para discutir formas de angariar recursos para conseguir um braço mecânico para o jovem atropelado.

O motorista responsável pelo atropelamento fugiu sem prestar socorro e, segundo a polícia, deixou o local do acidente levando consigo o braço da vítima que foi amputado no acidente. Em seguida, ele jogou o membro em um córrego, o que impossibilitou o reimplante. O condutor alega que teve medo da reação das pessoas no local, e por isso não prestou socorro.

Quem também usou as redes sociais para pedir justiça foi Rachel Baptista, a médica da equipe do Hospital das Clínicas que atendeu o ciclista após o acidente. Sua mensagem teve grande repercussão e reuniu centenas de comentários de apoio em sua página no Facebook. Confira o post da cirurgiã na íntegra:

"Quero manifestar a minha indignação quanto a atitude desse monstro que atropelou o ciclista na avenida paulista e que inviabilizou a chance desse menino de 21anos de tentar recuperar o braço. A nossa equipe: Dr. Guilherme Barreiro, Dra. Rachel Baptista, Dr. Kiril Kasai, Dr. Daniel dos Anjos sente muito por essa desgraça. Estávamos prontos para tentar o reimplante e infelizmente a policia juntamente com os bombeiros não conseguiram encontrar o braço no rio. O tempo de tentativa já se foi e nos restou somente a opção de limpar e suturar a ferida. O paciente está estável e foi terminada a cirurgia.

Sou totalmente a favor da lei seca e de tolerância zero. Não há como ter brechas permitindo pessoas totalmente irresponsáveis dirigirem nestas condições. Tem que haver justiça neste país.

Sinto muito, mas chegamos ao nosso limite. Sinto pela família e pelo paciente.

Espero que vcs divulguem e busquem mobilizar o governo para ter uma atitude incisiva na aplicação das leis e na punição dos responsáveis".

Dra Raquel Baptista

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.