Receita do LinkedIn supera expectativas dos analistas no 4º trimestre de 2012

Por Redação | 08.02.2013 às 16:15

O LinkedIn anunciou nesta quinta-feira (7) os resultados do seu quarto trimestre fiscal de 2012, surpreendendo e superando as expectativas dos analistas. A empresa fechou o período com receita de US$ 303,6 milhões (R$ 597 milhões), apresentando aumento de 81% em comparação ao mesmo período do ano anterior.

A rede social profissional também fechou o trimestre com alta em seu lucro líquido, totalizando US$ 40,2 milhões (R$ 79,1 milhões) ou trinta e cinco centavos de dólar por ação, muito acima da previsão dos analistas de dezenove centavos de dólar por ação. E as ações da companhia tiveram aumento de 10% no after-market, período de negociações após o fim do pregão, e registrou o melhor rendimento pelo sétimo trimestre consecutivo, desde que realizou seu IPO em maio de 2011 com ações valendo US$ 45 (R$ 88).

"Uma das coisas em que estamos mais focados em 2013 é a oportunidade de apoiar ainda mais o marketing de conteúdo em nossas páginas", afirmou durante reunião com acionistas Jeff Weiner, CEO do LinkedIn. Segundo a CNET, com a declaração, o executivo mostrou que a empresa está interessada em se posicionar cada dia mais como uma nova oportunidade de investimento para outras companhias, contribuindo com seus mais de 200 milhões de usuários e 2,4 milhões de empresas cadastradas em sua plataforma.

O lançamento de ferramentas como o LinkedIn Today, responsável pela distribuição de notícias na rede social, e a inclusão de algumas celebridades no hall do Linked Influencers tornou possível para a rede bater as mais de 9,8 milhões de visualizações – sem contar o acesso móvel – no quarto trimestre de 2012. E a empresa acredita que ao longo deste ano ela se firmará ainda mais como uma distribuidora de conteúdo profissional.

Jeff Weiner também informou que um novo tipo de anúncio deverá ser implantado no LinkedIn nos próximos meses, os 'anúncios patrocinados'. As empresas que atuam na rede social poderão pagar para promover seus conteúdos ou documentos para um seleto grupo de seguidores – a ferramenta se assemelha com o 'Histórias Patrocinadas' do Facebook.

Além disso, de acordo com o The Next Web, o LinkedIn prevê que sua receita no primeiro trimestre de 2013 fechará em torno de US$ 305 milhões a US$ 310 milhões (R$ 600 milhões e R$ 610 milhões, respectivamente), valor acima do projetado por Wall Street de US$ 301 milhões (R$ 592 milhões).