'Queremos estar próximos dos brasileiros', afirma CEO do Twitter no Brasil

Por Caio Carvalho | 05.12.2012 às 15:25 - atualizado em 26.01.2013 às 18:55
photo_camera Caio Carvalho

Agora é oficial: o Twitter está mesmo no Brasil. O anúncio foi feito na manhã desta quinta-feira (5), em São Paulo.

A operação nacional do Twitter será comandada por Guilherme Ribenboim, ex-Yahoo! e ex-CEO do ClickOn. O executivo será diretor-geral da companhia no país e terá contato direto com agências de publicidade para expandir o microblog no Brasil.

"O Brasil é um dos principais países no nosso foco. Os brasileiros são um público interessante, pois eles adoram se comunicar e mostrar sua opinião", disse Ribenboim durante o evento.

Hoje, o Twitter conta com mais de mil funcionários, está disponível em mais de 33 idiomas e tem mais de 500 milhões de usuários no mundo todo - sendo 140 milhões os que o utilizam diariamente. "31% deles estão na América do Norte, 20% na Europa e 16% na América do Sul", afirma Shailesh Rao, vice-presidente de operações internacionais do Twitter, que também esteve no evento. "Ainda não podemos dar números, mas garantimos que o Brasil é o maior país da América Latina em número de usuários ativos".

O mais interessante é que, segundo Ribenboim, o país não estava nos planos de investimento da empresa nos primeiros anos de vida. "[O Brasil] Seria um dos últimos a receber o Twitter, mas esse cenário mudou. Tanto que ganhou um escritório próprio, coisa que só tem no Japão e Reino Unido", completou.

A aproximação não para por aí. Novas cidades irão receber os assuntos mais falados (Trending Topics) de acordo com sua região: Fortaleza, Belo Horizonte, Manaus, Curitiba, Recife, Porto Alegre, Belém, Goiânia, Guarulhos, Campinas e São Luis.

Para Ribenboim, a chegada do Twitter no país terá como objetivo apoiar e dar suporte aos brasileiros, tanto o usuário comum como empresas parceiras. "Temos um programa de certificação de companhias, e algumas já trabalham conosco. Mas nosso foco é no contato direto com o público."

Twitter no Brasil

Futuro: a segunda tela

Os executivos da rede social destacaram como pretendem expandir seu modelo de negócios no Brasil e no resto do mundo. Para eles, é necessário ter engajamento e permitir que todos os usuários possam ter voz ativa no microblog.

Um exemplo disso é que a empresa pode investir pesado em parcerias com emissoras de TV na chamada "segunda tela" - termo usado para se referir ao hábito das pessoas assistirem televisão enquanto usam a internet em aparelhos móveis.

Só nos Estados Unidos, 79% dos indivíduos utilizam tablets e celulares ao mesmo tempo em que assistem seus programas de TV favoritos. Além disso, 17% das pessoas começam a acompanhar algum tipo de conteúdo depois de checarem o que outros usuários falam sobre ele nas redes sociais, e 31% delas continuam vendo o programa para interagir com outros internautas.

"O Twitter é fundamental para promover programas e conteúdos. Como foi o caso da novela Avenida Brasil, da Rede Globo, que alcançou o topo dos assuntos mais falados na exibição de seu último capítulo. Foram 3031 tweets por segundo", afirma Ribenboim.

Por fim, o diretor-geral do microblog no Brasil acredita que, a partir desse pensamento, a rede social ajuda a criar formadores de opinião, já que permite a interação do usuário com qualquer pessoa no mundo cadastrada no site.

"Além de destacar o conceito de engajamento, o Twitter permite que o público mostre sua opinião e converse sobre vários assuntos com quem quiser. Por isso abraçamos a ideia de vir para o Brasil: queremos estar próximos dos brasileiros, encorajá-los a ter voz", disse.