Proteja-se dos bisbilhoteiros online evitando o "oversharing"

Por Colaborador externo

*Por Tony Anscombe

As festas de final de ano sempre remetem à memória de momentos felizes de nossa infância. A ansiedade da espera pelo Papai Noel, por exemplo, era palpável. Mas sempre causou certo desconforto saber que o bom velhinho tinha uma lista de todas as coisas boas e ruins que tinha feito e continuava a me espionar. Por isso, sempre achei estranha a ideia de ele chegar enquanto dormimos.

Ao menos eu sabia o motivo que levava o Papai Noel a bisbilhotar minha rotina. O mesmo não pode ser dito sobre a internet, nós não sabemos quem pode estar nos espionando. Em muitos casos, eles também sabem o momento em que estamos dormindo, porque nós mesmos acabamos contando.

Revelamos muito mais que isso, com palavras, fotos e vídeos. Falamos onde moramos, quem somos e quem são nossos amigos. Assim, frequentemente fornecemos mais informações do que gostaríamos. Porém, as informações que fornecemos a uma legião de desconhecidos é combinada com mecanismos de busca e outras ferramentas que revelam dados que talvez a gente nem tenha a ideia de que estava disponível na internet, como os locais onde nos conectamos, onde compramos ou nossa renda.

Isso não quer dizer que qualquer tipo de coleta de dados seja ruim. Há situações em que suas informações são utilizadas por empresas focadas em prover boas experiências. Mas assim mesmo, você deve se posicionar quanto a esse assunto. Afinal, são seus dados.

Então, como evitar o compartilhamento excessivo de informações pessoais, o oversharing? Apresento minhas dicas, a partir da palavra “SHARE” (compartilhar), para ajudar você a controlar o que o Papai Noel e outras pessoas saberão sobre você.

1. S de Sobriedade: A palavra sobriedade não está ligada apenas à moderação no uso do álcool. É um estado de espírito. Se você estiver nervoso, empolgado, cansado ou não estiver em seus melhores dias, evite postagens nas mídias sociais;

2. H para Hold on (manter-se firme): Antes de postar qualquer coisa, pergunte a você mesmo se é seguro que todo mundo saiba sobre o assunto. Mesmo se tiver poucos contatos na rede ou se utilizar um grupo restrito para postar, conteúdos impróprios sempre podem acabar caindo em mãos erradas;

3. A para Autorize: Configure as opções de privacidade nas mídias sociais que utiliza e verifique de tempos em tempos se não houve mudanças (alguns sites alteram as opções de privacidade periodicamente). Essa providência somada ao cuidado com o que e como compartilhar informações vai te ajudar a ter mais controle sobre seus “rastros online”;

4. R de Revisar: Às vezes o que parecia inofensivo em uma época pode ressurgir posteriormente e causar problemas. Por isso, é importante que você revise atualizações anteriores. No Facebook você pode verificar tudo que já postou no seu perfil e no de seus amigos, permitindo a retirada de conteúdos, caso necessário.

5. E para Educação: A melhor forma de se proteger é sabendo o que acontece no mundo da segurança online. Se informar sobre controle de privacidade, suas configurações e sobre como se comportar na rede é importante para o gerenciamento de dados expostos às outras pessoas.

Como você cuida dos conteúdos que compartilha? Pense nisso.

*Tony Anscombe é embaixador de produtos free da AVG Technologies