Por que vale a pena investir em redes sociais?

Por Colaborador externo | 15 de Julho de 2014 às 17h15

Recente pesquisa aponta dados impressionantes sobre o mundo virtual. O levantamento da comScore, empresa de análise de tecnologia de internet, mostra que o brasileiro passa quase 13 horas por mês online em redes sociais. Esse número representa mais do que o dobro de tempo médio que o resto do Planeta usa nesses sites. Os internautas do Brasil ficam mais tempo usando o Facebook do que mexicanos e argentinos juntos permanecem online por mês. Entre fevereiro de 2013 e 2014, a quantidade de interações de usuários brasileiros no Facebook aumentou 26%.

Para a diretora de Criação da Polvo Digital, Carla Faria Del Valle, esse cenário serve para mostrar se vale ou não a pena investir em redes sociais. De acordo com ela, as redes sociais são mais um fenômeno recente e não precisam de apresentação. “Basta estar online para ser impactado diariamente por conteúdo que nasceu e foi disseminado por meio do Twitter ou do Facebook, mesmo que você não esteja relacionado a essas redes”, observa.

A pesquisa, segundo Carla, constata que as redes sociais fazem parte do cotidiano do brasileiro. “Estar online o tempo todo em qualquer lugar deixou de ser uma atitude de nerds ou workaholics.Agora, é premissa para o convívio social. O acesso à internet móvel e aos smartphones tem alavancado esse comportamento”, ressalta. Ela coloca que mais do que uma oportunidade de relacionamento entre marca e seus fãs, as redes oferecem vários formatos de oportunidades comerciais e devem fazer parte da estratégia online da sua empresa. “Com uma estratégia segmentada e personalizada, empresas de qualquer ramo podem se aproveitar das redes como canal de vendas e comunicação”, destaca.

Com base na pesquisa e experiência em questões digitais, Carla relaciona os principais aspectos que devem ser considerados para a consolidação da presença da marca de uma empresa nas redes sociais. Em primeiro lugar, deve-se definir o budget da empresa. “A agência pode fazer um estudo da situação de sua marca e de seus concorrentes. Conforme os objetivos e os resultados dessa análise, deve-se apresentar um plano de ações e a verba recomendada. “Porém, se você tem um limite estabelecido de investimento para uma ação dessa natureza, recomendo que esse valor seja compartilhado com a agência antes do plano. Assim, ela pode trabalhar de forma mais objetiva, pensando na melhor forma de investir a verba disponível. Sem exageros e frustrações”, esclarece.

Conhecer o perfil do cliente é fundamental, admite Carla. Para realizar uma campanha assertiva, que converse com pessoas cujo perfil geral é adequado ao consumo de seu produto ou serviço, é preciso saber quem são essas pessoas. Análises nos dados de CRM - Customer Relationship Management (Gestão de Relacionamento com o Cliente) ou pesquisas elaboradas por profissionais especializados são as melhores formas de ter segurança para iniciar o investimento em redes sociais. “Estas medidas fornecerão um diagnóstico confiável e apresentarão dados para embasar as ações de relacionamento”, define.

Outro ponto considerado importante para Carla é não falar apenas sobre produto ou serviço. “É muito tentador ficar jogando confete na própria cabeça quando o assunto é comunicação”, analisa, sustentando que um perfil em redes sociais tem muito mais dinamismo e proximidade do que uma campanha publicitária. “Costumo dizer que, se fosse para ver só produtos, o cliente não seguiria sua fanpage, mas iria direto à sua loja virtual”. Ela garante que rede social subentende relacionamento. “É uma conversa com pessoas que voluntariamente seguem a sua marca. E conversa pressupõe interação. É uma via com duas mãos. Seu produto ou serviço tem que estar inserido nessa troca, mas é o universo ao redor dele que vai gerar o conteúdo: histórias de quem já usou, fotos de clientes satisfeitos, datas comemorativas que têm relação com a área de atuação de sua empresa etc. Comentários devem ser respondidos, ainda que não tragam perguntas. É entre esses fãs que estão os evangelizadores de sua marca, que “trabalham” gratuitamente pelo crescimento dela. Eles têm que receber atenção”, ensina.

Finalmente, um dos aspectos que fazem da internet um canal excepcional de divulgação são as métricas. Medir resultados de ações online é muito mais rápido, barato e específico do que fazer isso com as mídias tradicionais, reconhece Carla. “São as métricas que primeiro apontarão se o engajamento está de acordo com as expectativas, que tipo de conteúdo gera mais interesse e qual tipo não gera. Elas podem embasar ajustes de verba/canal e, assim, permitem que a o investimento seja mais rentável”, assegura.

Carla conclui que investir em redes sociais é um caminho interessante para qualquer tipo de negócio, mas alerta que as redes e os formatos a serem usados em cada uma delas devem ser escolhidos adequadamente. “É preciso sair do comum, ser ousado e confiar em seu parceiro digital”, finaliza.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!