Orkut comemora 10 anos

Por Redação | 24.01.2014 às 18:00

Não parece tanto, mas o Orkut está fazendo 10 anos hoje. A rede social do Google que começou despretensiosamente em 2004 começou a crescer vertiginosamente no Brasil no ano de 2005, depois que a rede já contava com tradução para o português. Em 2011, com a popularização do Facebook, a queda foi enorme. Até hoje a diminuição nos acessos permanece constante, mas em um ritmo menos acelerado.

Isso seria motivo para o Google (e muita gente) achar que o Orkut já é passado, mas a verdade é que a rede ainda conta com mais acessos brasileiros do que o Google+, que é a nova e grande aposta do Google globalmente. Hoje, o Orkut é a 5ª maior rede social do país, ficando à frente até mesmo do Twitter.

novo orkut

Mas a verdade é que o Google nunca deu tanta importância para o Orkut, mesmo na época em que a rede social era febre no Brasil. Fora daqui, ele nunca foi considerado um sucesso, por isso, a Google demorou a investir em novidades para o serviço. As maiores mudanças só aconteceram no "Novo Orkut", quando o site já se encontrava em declínio. Aí não tinha mais volta.

Em 2011, muita gente dizia que o Orkut duraria por muito tempo, pois a interface do Facebook era “complicada demais”. A rede de Mark Zuckerberg realmente demorou para decolar aqui, muito mais do que em outros países. Uma das maiores dificuldades dessa entrada no país foi a falta de tradução para o português, algo que o Google já disponibilizava no Orkut desde abril de 2004.

Atualmente, o Orkut ainda conta com mais de 6 milhões de usuários brasileiros ativos, algo que é bastante impressionante. Por lá, ainda acontece muita coisa (neste artigo, contamos um pouco mais sobre isso). Ainda assim, o Google tenta forçar uma migração para o Google+, menos intuitivo para quem não está familiarizado com as redes sociais. Ao acessar uma conta da velha rede social, a página sugere que o usuário troque essa rede social pelo G+.

Orkut e suas exclusividades

Nenhuma rede social reuniu até hoje toda a fórmula do Orkut. A rede tem algumas ferramentas que até hoje fazem usuários sentir uma pontinha de saudade. A primeira era a necessidade de um convite para entrar – algo já repetido pelo Google em outras redes

A sensação de fazer parte de um tipo de clube virtual era unânime entre quem embarcou no Orkut em 2004. E, após entrar na rede, ainda existia a chance de fazer parte de comunidades. Elas uniam milhares de pessoas com um objetivo em comum, seja uma paixão, um hábito ou, simplesmente, uma brincadeira.

Os scraps, nada práticos, ainda remetiam a um tempo em que as relações (e a internet) eram menos aceleradas. Na época, era comum perder alguns minutos do dia para mandar um bom final de semana aos amigos ou, ainda, enviar aquela piadinha, de página em página. Com novas redes, como o Facebook e Google+, a comunicação deixou de ser exclusivamente entre dois indivíduos: as página virou palcos, com uma plateia observando cada movimento. Mas nos novos serviços não existia a opção de ver quem andava visitando o seu perfil como no Orkut. O serviço trouxe uma pequena amostra do que viraram hoje os sistemas de monitoramento de redes sociais para empresas.

O sistema de mensagens privadas do Orkut não foi muito bem-vindo. Não que ele não fosse necessário, mas ele ficava tão escondido que uma apropriação de outra ferramenta surgiu: os depoimentos. Era muito comum receber um depoimento com um enorme anúncio no começo: “NÃO ACEITA”.

orkut

Bad, bad server. No donut for you.

Infelizmente, o Google não soube adaptar essa febre, transformando o sistema de mensagens da rede. Mas, talvez, uma das ferramentas nativas do Orkut que mais deixaram saudades é a sorte do dia. Era quase como abrir diariamente um biscoito da sorte com frases que nem sempre faziam sentido. Mesmo assim, a ideia era, no mínimo, simpática. E a mensagem de erro da rede? Quase mais famosa que a baleia do Twitter, era o constante "Bad, bad server. No donut for you". Uma tortura para quem ainda usava a internet discada.

E você, ainda usa o Orkut? Sente saudades de alguma ferramenta? Conte para nós nos comentários!