Lucro do Facebook registra queda de 79% no quarto trimestre de 2012

Por Redação | 31.01.2013 às 12:27

O Facebook apresentou nesta quarta-feira os resultados do quarto trimestre fiscal de 2012. A empresa registrou queda de 79% em seu lucro no período, fechando em US$ 64 milhões (R$ 127 milhões) contra os US$ 302 milhões (R$ 600 milhões) do quarto trimestre de 2011.

A receita da empresa no quarto trimestre foi de US$ 1,58 bilhão (R$ 3,13 bilhões), apresentando aumento de 33% em comparação ao US$ 1,13 bilhão (R$ 2,2 bilhões) registrado um ano antes. Segundo informações do CNET, os analistas estavam trabalhando com uma quantia de US$ 1,53 bilhão (R$ 3 bilhões) para o período.

O número de usuários ativos mensais do Facebook atingiu a marca de 1,06 bilhão no dia 31 de dezembro, com crescimento de 25% em comparação ao ano anterior, e o número de usuários ativos diários também teve crescimento de 28% no período, fechando, em média, com 618 milhões - mais uma vez, o aumento na base de usuários se deve aos mercados emergentes.

A empresa também afirmou que sua base de usuários ativos mensais através do seu aplicativo móvel obteve crescimento de 58%, até o dia 31 de dezembro, em comparação ao ano anterior registrando 618 milhões de usuários. No ano, o lucro líquido do Facebook foi de US$ 53 milhões (R$ 105 milhões), muito abaixo do US$ 1 bilhão (R$ 2 bilhões) registrado em 2011, e a receita anual fechou em US$ 5,08 bilhões (R$ 10 bilhões), apresentando alta em comparação aos US$ 3,71 bilhões (R$ 7,3 bilhões) do último ano.

No entanto, os resultados do Facebook não foram suficientes para manter a subida no valor de suas ações, que enfrentam um período turbulento desde o IPO da companhia em maio de 2012. O valor das ações no after-market registraram queda de 3,33%, fechando em US$ 30,20 (R$ 60), e no pregão normal, elas fecharam em US$ 31,24 (R$ 62), com declínio de 1,46%.

Especialistas acreditam que a queda no valor das ações da companhia não está relacionada com o seu desempenho trimestral, que superou as expectativas dos analistas, mas está diretamente relacionada à sua dificuldade de consolidar seu crescimento. Neil Doshi, analista do Citi, acredita que os investidores ainda não estão vislumbrando um novo produto do Facebook (Gifts e Graph Search) que irá impactar a curto prazo no valor dos papéis.