LinkedIn aumenta prejuízo no terceiro trimestre, mesmo com forte alta em receita

Por Redação | 31.10.2014 às 15:14
photo_camera Divulgação

A rede social de contatos profissionais LinkedIn anunciou um prejuízo de US$ 4,3 milhões no terceiro trimestre deste ano. O prejuízo é maior do que o mesmo registrado no mesmo período do ano passado, de US$ 3,4 milhões. Já as receitas da empresa sofrerem uma forte alta, totalizando US$ 568 milhões, ante US$ 393 milhões do ano anterior. Isso representa uma alta de 45%. Saiu no GlobeNewswire.

As receitas adquiridas nos Estados Unidos totalizaram US$ 343 milhões, o que representa 60% da receita total do trimestre de 2014.

Com US$ 151 milhões, o Ebitda ajustado (lucro antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) representou 27% da receita total. No mesmo trimestre do ano passado esse número foi de US$ 93 milhões, ou 24% da receita.

Com a vendas de soluções de recrutamento, a empresa totalizou US$ 345 milhões, o que representa 61% das vendas totais, gerando um crescimento de 45%. Já as soluções de marketing contabilizaram US$ 109 milhões, 45% superior ao mesmo período do ano passado. O serviço de assinaturas premium também apresentou um crescimento expressivo de 43% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, totalizando US$ 114 milhões.

Neste período, o LinkedIn aumentou a escala e a relevância de anúncios de emprego, expandindo ofertas a uma ampla base de empresas americanas e globais. A plataforma conta com cerca de dois milhões de anúncios de emprego, proporcionando um forte impulso na ferramenta Job Search.

O LinkedIn projeta encerrar o quarto trimestre com receita em torno de US$ 600 milhões. Para todo o ano de 2014, a expectativa é que a empresa alcance US$ 2,17 bilhões. Com os anúncios financeiros, as ações da empresa na Nasdaq, nesta quinta-feira (30), tiveram alta de 1,7%, cotadas a US$ 202,90.

Vale lembrar que neste trimestre de 2014 a rede social anunciou a aquisição da Bizo, que visa acelerar a capacidade de desenvolver uma plataforma de marketing B2B end-to-end. Com base no sucesso das atualizações patrocinadas, da equipe de tecnologia da Bizo, a tendência é que a capacidade do LinkedIn em alavancar produtos de marketing e ampliar as soluções no segmento sejam elevadas.

Segundo Steve Sordello, CFO do LinkedIn, o objetivo é "continuar a fazer investimentos agressivos em plataformas de membros e clientes, a fim de realizar todo o potencial da empresa em longo prazo".

Fonte: http://convergecom.com.br/tiinside/30/10/2014/apesar-de-forte-alta-na-receita-linkedin-aumenta-prejuizo-terceiro-trimestre/#.VFOCejTF9F9http://globenewswire.com/news-release/2014/10/30/678377/10105502/en/LinkedIn-Announces-Third-Quarter-2014-Results.ht