Internautas realizam petição online por soltura de usuário do Twitter na China

Por Redação | 23 de Novembro de 2012 às 13h50
photo_camera Tô sabendo mais

O Twitter costuma ser utilizado para as pessoas expressarem suas opiniões sobre os mais diversos assuntos, mas essas opiniões não são muito bem aceitas em alguns países. Na última terça-feira (21), começou a circular uma petição online em defesa de um usuário do microblog na China que foi preso por opinar sobre a renovação do comando do Partido Comunista.

Zhai Xiaoboing, ou @Stariver, foi detido pela polícia poucos dias antes da confirmação dos novos líderes chineses, no dia 15 de novembro. O tuiteiro comparou uma mensagem o 18º Congresso Nacional do Partido Comunista com o filme 'Premonição', em que os personagens conseguem escapar da morte uma vez, mas vão morrendo em sequência de formas trágicas.

Em uma série de tweets publicados no dia 4 de novembro, Xiaoboing afirma que apenas sete pessoas irão sobreviver ao colapso no Salão do Povo, com mais de duas mil pessoas presentes durante o Congresso (o novo grupo que governa a China é composto por sete membros). Ele ainda questiona o que o número 18 (referente ao 18º Congresso Nacional do Partido Comunista) tem a ver com a "abertura dos portões do inferno".

A detenção da província de Miyun confirmou ao jornal The Wall Street Journal que Xiaoboing está recluso no local por "postar no microblog informações falsas". Os números apresentados nas postagens do tuiteiro estão diretamente relacionados a troca de comando do Partido, que consiste em sete novos membros.

Tweet prisão China

Reprodução: The Wall Street Journal

As autoridades chinesas são conhecidas por seu grande controle sobre a internet no país, principalmente, nas redes sociais. O mais interessante é que Zhai Xiaoboing foi preso por suas postagens no Twitter - oficialmente bloqueado na China - e não na versão doméstica do microblog, o Weibo.

Mais de 35 milhões de chineses utilizam o Twitter ilegalmente no país, com o uso de um proxy VPN (virtual private network) que permite que os usuários penetrem as muralhas construídas ao redor da internet pelas autoridades. Embora o governo não tenha como censurar o que é postado no serviço norte-americano, eles conseguem monitorar o que os usuários chineses postam na rede social.

"Na China, os sites domésticos devem entregar às autoridades, quando solicitado, o endereço do IP dos usuários. Mas, como não têm controle sobre os sites estrangeiros, acredita-se que as autoridades utilizaram outros métodos para rastrear Zhai Xiaoboing", afirmou à BBC Duncan Clark, presidente da empresa de consultoria BDA China.

Por enquanto, ainda não está claro como Xiaoboing foi identificado e nem quanto tempo ele deverá permanecer na prisão.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!