Falsa notícia no Twitter sobre ataque à Casa Branca causa queda na Dow Jones

Por Redação | 23.04.2013 às 17:42 - atualizado em 23.04.2013 às 21:03

Nesta terça-feira (23), a conta no Twitter da agência de notícias 'Associated Press' (AP) foi hackeada e gerou alguns momentos de crise com uma falsa notícia divulgada na rede. Um tweet dizia que duas explosões haviam acontecido na Casa Branca e que o presidente Barack Obama estava ferido.

A agência possui milhares de seguidores na rede de microblogging, o que gerou uma repercussão notável da falsa notícia de atentado. Mas, apesar de centenas de retweets, os usuários não demoraram a notar que se tratava de uma mensagem falsa. Um dos indícios era que o tweet não seguia o padrão de formato de texto adotado pela AP em suas publicações, e outro - muito notável - era o fato de outras agências ou veículos de comunicação não terem repercutido o fato tão calamitoso.

Twitter Associated Press hackeado

A Associated Press disse que os hackers realizaram "repetidas tentativas para roubar as senhas dos jornalistas da agência", e parece que dessa vez eles conseguiram. Uma nova conta no Twitter foi criada pela empresa para dar explicações a respeito do acontecimento.

Mas, conforme ressalta o The Verge, a explicação da AP de que tudo não passou de uma invasão não foi suficiente para conter os reflexos da notícia na bolsa de valores. Em apenas três minutos, a bolsa eletrônica Dow Jones apresentou uma queda livre de 100 pontos, mas aos poucos conseguiu se recuperar. A autoria do ataque foi reivindicada pelo exército eletrônico da Síria.

Queda Dow jones

Falta segurança no microblog?

Esse é apenas mais um indício de que os hacks no Twitter estão aumentando consideravelmente. No último fim de semana as contas de dois programas da CBS News, '48 hours' e '60 Minutes', também dispararam falsas mensagens dizendo coisas do tipo: "O Governo dos Estados Unidos está escondendo o verdadeiro culpado do atentado de Boston".

Em fevereiro de 2013, estima-se que 250 mil senhas de contas do Twitter tenham sido comprometidas em um ataque contra o serviço. A soma de todos esses fatores mostra que está na hora de criar um nível extra de segurança na hora da autenticação do serviço.

Mat Horan, do site Wired, sugere ainda que a rede de microblogging adote algumas medidas para ajudar a diminuir o impacto negativo dos tweets e retweets que trazem informações erradas ou mentirosas. Uma de suas recomendações é a adição de uma função similar a um retweet ou favorito, que permita editar e corrigir uma mensagem depois que ela for lançada. Em seguida, todos poderão ver em sua timeline que aquele tweet foi corrigido. Ou ainda um recurso onde o autor original do tweet, no caso da AP, por exemplo, possa comunicar a todos que republicaram sua mensagem que existe uma correção a ser feita.

De qualquer forma, o Twitter precisa mesmo repensar sua segurança de acesso e começar a se espelhar em outras companhias, como o Google, Microsoft e Apple, que utilizam dupla autenticação, por exemplo.