Facebook: postagens automáticas terão menos destaque na rede social

Por Redação | 28.05.2014 às 15:01

Usuários de Facebook, preparem-se, pois o feed de notícias da rede social promete ficar ainda mais "inteligente" e menos poluído que o de costume. A empresa anunciou em seu blog oficial que vai reduzir a quantidade de postagens automáticas de aplicativos como Pinterest, Farmville, Spotify e Rdio, e retirar essa funcionalidade do padrão do site.

As mudanças não devem ser tão perceptíveis assim no início. Basicamente, o que vai acontecer é o seguinte: em vez de visualizar sua página inicial lotada de coisas desnecessárias, você deixará de ver publicações de outros apps utilizados pelos seus amigos – por exemplo, "João escutou o álbum 'Leave Home' do Ramones no Rdio" ou "Maria leu um artigo no Washington Post". Esse recurso só estará ativo se você ou seus amigos decidirem por conta própria compartilhar aquele conteúdo, selecionando o botão do Facebook no site de origem.

Essa mudança já havia ocorrido na semana passada, quando o compartilhamento automático de curtidas e outras atividades no feed de notícias foram desativadas no Instagram. De acordo com a companhia, foi necessário remover esse recurso porque a rede social acredita que as pessoas interagem mais com histórias compartilhadas de forma explícita, e não de um jeito mecânico, como acontecia com apps integrados ao Facebook.

"Muitas vezes os usuários se sentem surpresos ou confusos com histórias compartilhadas implicita ou automaticamente. No ano passado, o número de posts divulgados de maneira implícita no feed diminuiu naturalmente. Essa queda está relacionada com a forma como muitas vezes as pessoas marcam esses posts de terceiros como spam", disse Peter Yang, do Facebook.

Facebook

Faixas ouvidas no Spotify eram automaticamente enviadas no feed de notícias do Facebook (Imagem: The Verge)

A decisão é uma mudança significativa nas políticas do Facebook, já que Mark Zuckerberg planjeava há alguns anos que todas as atividades feitas pelo usuário – os lugares que ele frequentava, o que ele comia, jogava ou ouvia – fossem compartilhadas automaticamente na rede social. No início, milhares de internautas aderiram ao recurso, mas desde o ano passado a empresa percebeu que era necessário priorizar aquilo que o usuário compartilhava manualmente, e não de maneira automática – muitas vezes sem ele mesmo saber – por outras plataformas.

Foi aí que começou a remoção de posts automáticos. Segundo Yang, o número de usuários que marcava essas mensagens como conteúdo indesejado caiu 75% desde então, e a tendência é que as autopublicações apareçam cada vez menos no feed de notícias dos utilizadores do Facebook.

Esta é a segunda grande mudança feita pelo Facebook em menos de uma semana. Na última quinta-feira (22), a companhia anunciou uma ferramenta com foco em privacidade que permite maior controle na hora de postar conteúdos na rede social. Por padrão, agora o sistema exibe uma opção para o usuário compartilhar sua postagem no modo público ou apenas para amigos.

Isso significa que, a partir de agora, todas as publicações feitas pelo internauta são exibidas por padrão penas para as pessoas que ele tem adicionadas e não mais para todo mundo. Além disso, a rede social adotou um novo mascote que acompanha esse novo sistema de privacidade: um dinossauro azul, apelidado pelos usuários de "Zuckassauro".