Facebook passa a restringir vídeos de conteúdo violento

Por Redação | 14 de Janeiro de 2015 às 16h50
Tudo sobre

Facebook

O Facebook agora restringe conteúdo de extrema violência nas atualizações, fixando avisos para prevenir menores de ver alguns vídeos. Um dos primeiros vídeos a receber a faixa de restrição foi a execução violenta de um policial que respondeu às chamadas no ataque terrorista da revista Charlie Hebdo. As informações são do Engadget.

A rede social nunca permitiu material que possa "glorificar a violência", entretanto, em geral, notícias e imagens documentais que retratam execuções e outras brutalidades acabam sendo veiculadas sob o direito da liberdade de expressão. No entanto, após a pressão de conselheiros, foi eleita a implantação de avisos com a opção de desativar a execução automática desses tipos de vídeos.

O Facebook tem visto a reprodução de vídeo crescer muito ultimamente na Linha do Tempo de seus usuários, a ponto de desafiar o YouTube em conteúdo. Recentemente, a rede social anunciou um bilhão de registros audiovisuais por dia.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O fluxo aumentou e o Facebook ainda luta para encontrar um filtro capaz de evitar, por exemplo, que jovens de 13 anos de idade possam se increver e compartilhar vídeos de decapitação sem qualquer aviso.

Usuários que se declararem menores de 18 anos agora não vão mais poder ver conteúdo violento, o que deve ajudar a evitar problemas com esses conteúdos no Feeds de Notícias. Isso, não entanto, ainda não conseguirá deter um menor determinado de encontrar o material censurado por meio de uma busca mais precisa ou de uma conta falsa, além de outros meios.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.