Facebook é favorito entre usuários que buscam relacionamentos pela internet

Por Gabriel Castro | 14 de Fevereiro de 2014 às 08h00

Apesar de informações que circularam a respeito da diminuição de jovens no Facebook, a sua popularidade ainda está em alta, pelo menos entre os usuários de países emergentes que usam a rede social como meio de paquera. É o que aponta uma pesquisa conduzida pela empresa de inteligência de mercado Jana, que entrevistou 1500 usuários da internet da faixa etária entre 18 e 30 anos.

Os resultados concentram usuários de países em desenvolvimento (incluindo o Brasil) e em todos eles o Facebook estava com uma grande vantagem em relação aos outros sites no que se refere à busca por relacionamentos online.

Enquanto o Tinder e aplicativos do gênero conquistaram rapidamente muitos usuários nos Estados Unidos, Europa e outros países ocidentais, na África, Ásia e América Latina os números de usuários de aplicativos de paquera ainda são comparativamente baixos, o que pode estar relacionado ao menor uso de smartphones em países destas regiões.

Facebook dating

Porcentagem de uso das redes em relação à preferência para busca de relacionamentos - Fonte: thenextweb

"Não uso o Facebook para buscar pessoas, mas para estreitar laços, verificar compatibilidade de gostos, observar como a pessoa é de verdade" explica Cacau Prado, atriz, que utiliza a rede desde 2008. "Acredito que essa naturalidade e personalidade das pessoas no Facebook possa ser uma razão que influencia a escolha por essa rede social para paqueras, visto que os sites específicos podem ter perfis muito limitados a este único propósito, além de serem só 'propaganda boa' das pessoas que querem conquistar outras", acrescenta.

A sugestão de amizades, serviços de localização de mensagens e outros recursos oferecidos pelas redes também podem ter influência na escolha dos usuários por esses meios para procurarem por relacionamentos. Pela internet circulam imagens e infográficos que estimulam o uso de redes sociais para esta finalidade.

Facebook dating

Fonte: graphs.net


Para o estudante de Economia da Universidade de São Paulo Victor Bluhu, o acesso aos smartphones seria a principal causa dessa disparidade. "Na minha opinião, os índices da pesquisa estão mais vinculados à difusão dos smartphones e dos apps específicos pra isso do que a rede utilizada. Mesmo no meio em que vivo, universitário, o pessoal ao meu redor demorou pra conhecer o Tinder mas, assim que conheceu passou a priorizá-lo como ferramenta de relacionamento", afirma. Para Victor, a pesquisa confirma uma prática que ja acontecia na rede social há tempos: "vejo isso [a busca por relacionamentos] acontecendo no Facebook desde que entrei. Não penso que tenha a ver com o momento em que vivemos agora, mas sim com o volume de usuários que a rede alcançou, quanto mais pessoas, mais paquera. Existem até grupos secretos criados para este fim nos quais só se entra com convite", complementa.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.