Parece que o Facebook está preparando um app para concorrer com o Snapchat

Por Redação | 19 de Maio de 2014 às 13h50
TUDO SOBRE

Snapchat

Se o Facebook fosse um super-herói e tivesse um arquiinimigo, esse com certeza seria o Snapchat – pelo menos na visão da própria rede social. Após lançar um aplicativo semelhante que durou apenas duas semanas, tentar comprar o app de mensagens instantâneas e ter sua proposta recusada, a empresa de Mark Zuckerberg parece que está mais uma vez tentando entrar nesse mercado com o Slingshot.

As informações ainda não confirmadas foram publicadas pelo Financial Times e falam sobre um software que tem funcionamento semelhante ao TapTalk e que possui as mensagens instantâneas como seu principal atrativo. Na solução do Facebook, o usuário deve pressionar e segurar a imagem de perfil do amigo desejado para que uma foto ou curto clipe de vídeo sejam enviados.

A novidade ainda não teria data de lançamento, mas a ideia é liberar a solução o mais rápido possível. Ela funcionaria de forma independente ao Facebook, mais ou menos como o Messenger dos dispositivos móveis, apesar de apresentar integrações com a lista de amigos da rede social, por exemplo. As informações foram obtidas com fontes anônimas e a empresa se recusou a comentá-las.

PECHINCHAS, CUPONS, COISAS GRÁTIS? Participe do nosso GRUPO DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Ao que tudo indica, será possível configurar o tempo para a autodestruição da comunicação, bem como adicionar efeitos e realizar pequenas edições. Se tudo sair conforme planejado, a empresa da rede social competirá com aquele que já é o terceiro aplicativo de mensagens mais utilizado nos Estados Unidos, deixando para trás até mesmo o WhatsApp, recém-comprado por Zuckerberg.

Enquanto a concorrência tenta correr atrás do prejuízo, o próprio app do fantasminha tenta estender suas garras para outros segmentos. Em sua mais recente atualização, o Snapchat ganhou funções de mensageiro instantâneo, permitindo que usuários troquem mensagens e conversem entre si também por texto, mas mantendo a mecânica de comunicação com prazo de validade. Toda a conversa é apagada assim que a interface de chat é fechada.

Em 2012, o Facebook lançou o Poke, fruto de apenas duas semanas de desenvolvimento e considerado por muitos como uma alternativa “corrida” para o mercado de mensagens efêmeras. Tão rápida quando a validade das comunicações trocadas entre seus usuários foi o tempo de vida da solução, que foi retirada do ar apenas duas semanas após seu lançamento.

Na sequência, o Facebook teria tentado comprar o Snapchat por mais de US$ 1 bilhão, com o fundador do app de mensagens negando a proposta por acreditar na própria solução. A ideia deu certo e criou um novo nicho no segmento de mensagens mobile, uma tendência que, agora, deve ser seguida por grandes players do mercado.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.