Facebook é processado por monitorar mensagens privadas dos usuários

Por Redação | 06.01.2014 às 14:02

O Facebook está sendo processado nos Estados Unidos por monitorar o conteúdo de mensagens privadas trocadas entre seus usuários. A ação, movida por duas pessoas no estado americano da Califórnia, acusa a rede social de infringir leis federais de privacidade e afirma que os dados obtidos são compartilhados com agências de propaganda e marketing, de forma a gerar mais lucros com publicidade.

A ação foi registrada no dia 30 de dezembro e fala sobre um esquema de “escaneamento invasivo”, que interceptaria eletronicamente todas as conversas privadas entre os usuários. Um algoritmo, então, analisaria o texto digitado e também o conteúdo de eventuais links enviados, de forma a obter padrões de interesse e atividade online para fins de publicidade direcionada e mais efetiva.

Além disso, os usuários responsáveis pelo processo afirmam que tal situação não apenas viola leis – como o Ato de Privacidade em Comunicação Eletrônica e regulamentações sobre sigilo pessoal da Califórnia – como vai contra afirmações do próprio Facebook. No passado, como lembra a Bloomberg, a empresa já havia afirmado possuir medidas sem precedentes para a segurança de seu sistema de mensagens privadas.

É justamente nesse ponto que a defesa do Facebook deve se basear. Apesar de ainda não ter respondido à corte federal, a porta-voz da rede social, Jackie Rooney, desclassificou as acusações e afirmou que elas não possuem mérito algum.

Os usuários reclamantes querem transformar a ação em um processo de classe, em prol de todos os usuários do Facebook que enviaram ou receberam mensagens pessoais contendo links nos últimos dois anos. Além disso, pedem o fim do monitoramento da correspondência eletrônica e o equivalente a US$ 10 mil em danos para cada usuário atingido pelo sistema.