Facebook é processado por acionista que se sentiu lesado com o IPO da empresa

Por Redação | 05 de Março de 2013 às 15h37

O Facebook está prestes a encarar um novo processo por parte de um de seus acionistas. Gaye Jones alega que a companhia escondeu informações importantes sobre as tendências de queda em sua receita, relacionada ao uso do app da rede social em dispositivos móveis.

O acionista que se sentiu lesado com a oferta pública inicial de ações (IPO) da empresa responsabiliza diretamente Mark Zuckerberg, os membros do conselho do Facebook e outros executivos da companhia pela omissão de informações.

Segundo o jornal Chicago Tribune, a ação movida por Gaye Jones alega que apenas os bancos envolvidos na organização do IPO e alguns investidores cruciais estavam por dentro de maiores detalhes da situação. O processo tenta forçar a diretoria da empresa e os demais envolvidos a ressarcir o dinheiro que eles receberam com a venda de ações por meio do IPO. Estas pessoas supostamente sabiam que as ações estavam superfaturadas.

"Os acusados enriqueceram indevidamente porque realizaram enormes lucros e benefícios financeiros com a oferta pública inicial a despeito de estarem informados sobre as perspectivas diminuídas de faturamento e lucro da empresa, que não foram reveladas publicamente aos investidores", escreveu Gaye na queixa apresentada. O Facebook ainda não se manifestou a respeito da ação movida por Gaye.

O Facebook encarou diversos problemas desde que resolveu abrir seu capital, tanto que mais de 50 processos de investidores foram abertos desde então. Atualmente, o tribunal de Nova York estuda a possibilidade de julgá-los como uma ação coletiva. Os problemas também se mostram em números, já que durante o IPO as ações custavam US$ 38, e em menos de um mês caíram bruscamente para US$ 25. Agora, elas estão na casa dos US$ 27.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.