Facebook diz que houve falha de comunicação sobre experiência conduzida no site

Por Redação | 03 de Julho de 2014 às 14h59

Quando fazemos nosso cadastro no Facebook, não só estamos assinando o ticket de acesso à maior rede social do mundo, como também um atestado que diz que a empresa pode usar nossos dados da forma que ela quiser. Mas isso não é novidade para ninguém, certo?

Apesar disso e de todas as notícias relacionadas a privacidade na rede social, há alguns dias surpreendeu o relato de que o site manipulou o feed de notícias de mais de 600 mil usuários para conduzir um experimento psicológico. Muito embora os pesquisadores da empresa tenham afirmado que as intenções eram as melhores possíveis, a atitude pegou mal.

Nesta quarta-feira (02) a companhia finalmente decidiu se pronunciar sobre o caso e incumbiu à atual chefe de operações Sheryl Sandberg a tarefa de falar pela primeira vez sobre o caso publicamente. De Nova Deli, capital da Índia, a executiva admitiu que de fato houve "um problema de comunicação" e que os usuários podem não ter sido avisados sobre a pesquisa.

"Tudo não passou de uma pesquisa que fazemos para testar novos produtos e foi exatamente isso, apenas uma pesquisa que foi mal comunicada", revelou a COO. "Por essa falha de comunicação, nós pedimos desculpas. Nunca foi nosso objetivo incomodá-los", concluiu.

COO da companhia pediu desculpas pela falta de comunicação sobre o experimento e garantiu que rede social continua prezando pela privacidade e segurança dos usuários

COO da companhia pediu desculpas pela falta de comunicação sobre o experimento e garantiu que rede social continua prezando pela privacidade e segurança dos usuários (Imagem: Reprodução)

Segundo o Wall Street Journal, Sandberg estava na Índia para fechar os detalhes do novo sistema de publicidade voltado para mercados emergentes que o Facebook está lançando por lá. Como o foco da viagem foram os negócios para acertar os termos finais do novo esquema, a executiva não deu mais esclarecimentos sobre o tal experimento e limitou-se a dizer que "[o Facebook] leva a privacidade e segurança dos usuários muito a sério porque isso é algo que possibilita as pessoas a compartilharem emoções e opiniões".

A pesquisa conduzida pelo Facebook manipulou o feed de notícias de mais de 600 mil usuários da rede social, que foram chamados pela Animalnewyork.com de "ratos de laboratório" da companhia. A manipulação foi feita de forma a analisar se somos mesmo influenciados pelo conteúdo publicado por outros usuários.

De acordo com os pesquisadores da rede social, o objetivo era apenas compreender se o que vemos no site realmente nos afeta, se altera o que sentimos e se mexe com nossas emoções. O documento final, por sua vez, conclui que sim, nós somos influenciados pelo que aparece no feed de notícias do site e ele é sim capaz de manipular o que sentimos, positiva ou negativamente.

O estudo foi publicado no mês de março na Proceedings e pode ser conferido na íntegra clicando neste link.

Leia mais sobre Facebook:

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.