Facebook compra LiveRail e ganha força com publicidade em vídeo

Por Redação | 02.07.2014 às 18:18

Em março, o Facebook passou a oferecer anúncios em vídeo de até 15 segundos no feed de notícias da rede social. Apenas algumas empresas ainda podem experimentar o serviço, uma prova clara de que a rede docial de Mark Zuckerberg está adotando uma boa dose de cautela para a inserção desse tipo de anúncio, assim como já realizou com os demais.

Nesta quarta-feira, 02 de julho, a agência de notícias Reuters confirmou que o Facebook comprou a startup LiveRail, fundadora da plataforma de publicidade em vídeo que leva o mesmo nome da empresa. Essa plataforma oferece a publicitários e editores de vídeos online uma forma diferente de enviar e rentabilizar as produções que são publicadas na internet. Isso acontece por meio das campanhas direcionadas pelos conteúdos de vídeo, por linguagens utilizadas, devido as campanhas anteriores de sucesso e a localização geográfica do consumidor.

A LiveRail trabalha com uma equipe de 170 pessoas e sua plataforma é utilizada como ferramenta de uma centena de grandes editoras. Fundada em 2007, a empresa tem sede em San Francisco, na Califórnia, mas também possui escritórios em Nova York, Londres e na Romênia.

Em um comunicado, o vice-presidente de Marketing de Produtos e Anúncios do Facebook, Brian Boland, disse algumas palavras sobre a aquisição. "Estamos apenas começando a nossa parceria com a LiveRail, mas estamos muito animados sobre o futuro para os editores de vídeo e profissionais de marketing. Acreditamos que a tecnologia da LiveRail e a experiência relevante do Facebook vai nos ajudar a fazer publicidade em vídeo de maneira muito melhor para todos".

O valor da transação não foi revelado, assim como o Facebook também não revela muitos detalhes sobre os planos para a LiveRail, se ela será apenas uma empresa que ajudará nas propagandas em vídeo oferecidas pela rede social, ou se terá mais outros trabalhos a fazer.

Da mesma forma, os anúncios em vídeo do Facebook possuem preços ainda não revelados, mas é sabido que os valores são maiores do que das outras formas de publicidade online oferecidas pela rede, como banners e posts patrocinados. O Facebook e o Google estão cada vez mais envolvidos em uma disputa para conseguir os maiores orçamentos de marketing e publicidade das empresas, tanto pequenas como grandes.