Facebook atualiza ferramenta de prevenção de suicídio

Por Redação | 26.02.2015 às 10:21

O Facebook está atualizando sua ferramenta que ajuda a prevenir suicídios de pessoas que publicam mensagens consideradas preocupantes no site. "Suicídio agora é como a AIDS nos anos 80", disse Rob Boyle, gerente de produto da rede social, ao San Francisco Chronicle.

O recurso funciona da seguinte forma: se um usuário postar uma mensagem suspeita, seus amigos poderão clicar em um ícone no canto direito superior do post e relatar sua preocupação. Quando alguém sinalizar uma postagem como preocupante, informações sobre a prevenção de suicídio e a opção de enviar uma mensagem para o dono do post irão aparecer na tela. Ou então, o amigo poderá optar pela intervenção do Facebook.

Os posts sinalizados serão encaminhados para funcionários treinados na prevenção de suicídio. O Facebook alega que seus colaboradores revisam em média 1 milhão de posts por semana – incluindo denúncias de nudez, spam, ameaças e tudo mais.

Se o Facebook determinar que um post contém uma mensagem potencialmente suicida, a empresa irá bloquear a conta do usuário e, quando ele tentar logar novamente, será redirecionado para uma página com links para conteúdo de prevenção de suicídio e uma maneira de entrar em contato com algum amigo ou falar com uma central de ajuda especializada.

Por enquanto, apenas alguns usuários norte-americanos possuem acesso ao recurso atualizado na rede social, mas logo ele deverá ser expandido para o resto do mundo.

Atualmente, ocorrem cerca de 41 mil suicídios nos Estados Unidos a cada ano. Esse número supera as ocorrências de homicídios e mortes no trânsito do país. Os números são realmente alarmantes e por isso diversos especialistas têm aplaudido os esforços do Facebook em relação ao tema. Afinal, cerca de 900 milhões de pessoas fazem login na rede social diariamente e pelo menos algumas delas estão procurando ajuda.

Casos de suicídio relacionados à rede social também não são raros. Um exemplo é o da jovem italiana Carolina Picchio, de apenas 14 anos, que pulou da janela de seu quarto por não suportar o bullying que começou no Facebook. Outro caso que ganhou muita repercussão foi o da canadense Amanda Todd, que tirou a própria vida após sofrer bullying devido a uma mensagem de suicídio que postou na rede social. Na ocasião, ela recebeu diversas mensagens ofensivas como resposta.