Executiva é demitida após fazer piada com vítimas da AIDS no Twitter

Por Redação | 24 de Dezembro de 2013 às 07h50

Pense duas vezes antes de dar sua opinião na internet, pois pode lhe custar um emprego. Foi isso o que aconteceu com Justine Sacco, diretora de comunicação da InterActive Corp (IAC), empresa que controla mais de trinta serviços online, como match.com, Meetic, Vimeo, The Daily Beast, CollegeHumor e Dictionary.com. A executiva foi demitida neste fim de semana após fazer uma piada no Twitter com as vítimas de AIDS na África.

Segundo o VentureBeat, Sacco postou na última sexta-feira (20) em sua conta no microblog a seguinte mensagem, horas antes de embarcar para a África do Sul: "Indo para a África. Espero não contrair Aids. Brincadeira. Sou branca!". O post foi lido apenas por seus 200 seguidores, mas encaminhado para um funcionário do site Buzzfeed.com, que divulgou a notícia no portal.

Minutos depois, a mensagem repercutiu rapidamente nas redes sociais e foi retuitada mais de três mil vezes. Sacco, que só ficou sabendo quando desembarcou no continente africano, foi alvo de cachota e insultos de usuários na internet e sua atitude publicada em diversos veículos de comunicação. O perfil da executiva no Twitter e no Facebook foram deletados por Sacco porque ela afirma ter recebido ameaças de morte.

"É um comentário escandaloso e ofensivo que não reflete a visão e os valores da IAC. Infelizmente, a funcionária em questão está inacessível em um voo internacional, mas essa é uma questão muito grave e vamos tomar as medidas apropriadas", afirmou um porta-voz da IAC na noite de sexta-feira. Já no domingo, a companhia emitiu um comunicado confirmando a demissão de Sacco.

"Tratamos este assunto com muita seriedade, e tomamos medidas junto à funcionária envolvida. Não há justificativa para o comentário publicado, que condenamos com firmeza. Esperamos, no entanto, que o tempo e o espírito humano possam perdoá-la, e que tudo isso não resulte em uma condenação de uma pessoa que, em outras circunstâncias, foi decente", declarou a organização.

Em resposta, a CNN publicou um pedido de desculpas da própria Sacco. "Palavras não podem expressar o quanto me arrependo e o quanto é necessário para mim pedir desculpas ao povo sul-africano, que ofendi com uma mensagem desnecessária e insensível. Existe uma grave crise por causa da Aids neste país. Infelizmente, é muito fácil falar com leviandade sobre uma epidemia que nunca foi enfrentada diretamente", disse.

A executiva ainda lembrou que nasceu na África do Sul e que sente vergonha de "ser insensível a essa crise - que não discrimina por raça, gênero, ou orientação sexual, e sim nos aterroriza de forma uniforme - e por milhões de pessoas que vivem com o vírus". De acordo com dados da organização sem fins lucrativos Do Something, cerca de 23,8 milhões de africanos são portadores do vírus HIV.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.