Executiva é demitida após fazer piada com vítimas da AIDS no Twitter

Por Redação | 24 de Dezembro de 2013 às 07h50

Pense duas vezes antes de dar sua opinião na internet, pois pode lhe custar um emprego. Foi isso o que aconteceu com Justine Sacco, diretora de comunicação da InterActive Corp (IAC), empresa que controla mais de trinta serviços online, como match.com, Meetic, Vimeo, The Daily Beast, CollegeHumor e Dictionary.com. A executiva foi demitida neste fim de semana após fazer uma piada no Twitter com as vítimas de AIDS na África.

Segundo o VentureBeat, Sacco postou na última sexta-feira (20) em sua conta no microblog a seguinte mensagem, horas antes de embarcar para a África do Sul: "Indo para a África. Espero não contrair Aids. Brincadeira. Sou branca!". O post foi lido apenas por seus 200 seguidores, mas encaminhado para um funcionário do site Buzzfeed.com, que divulgou a notícia no portal.

Minutos depois, a mensagem repercutiu rapidamente nas redes sociais e foi retuitada mais de três mil vezes. Sacco, que só ficou sabendo quando desembarcou no continente africano, foi alvo de cachota e insultos de usuários na internet e sua atitude publicada em diversos veículos de comunicação. O perfil da executiva no Twitter e no Facebook foram deletados por Sacco porque ela afirma ter recebido ameaças de morte.

"É um comentário escandaloso e ofensivo que não reflete a visão e os valores da IAC. Infelizmente, a funcionária em questão está inacessível em um voo internacional, mas essa é uma questão muito grave e vamos tomar as medidas apropriadas", afirmou um porta-voz da IAC na noite de sexta-feira. Já no domingo, a companhia emitiu um comunicado confirmando a demissão de Sacco.

"Tratamos este assunto com muita seriedade, e tomamos medidas junto à funcionária envolvida. Não há justificativa para o comentário publicado, que condenamos com firmeza. Esperamos, no entanto, que o tempo e o espírito humano possam perdoá-la, e que tudo isso não resulte em uma condenação de uma pessoa que, em outras circunstâncias, foi decente", declarou a organização.

Em resposta, a CNN publicou um pedido de desculpas da própria Sacco. "Palavras não podem expressar o quanto me arrependo e o quanto é necessário para mim pedir desculpas ao povo sul-africano, que ofendi com uma mensagem desnecessária e insensível. Existe uma grave crise por causa da Aids neste país. Infelizmente, é muito fácil falar com leviandade sobre uma epidemia que nunca foi enfrentada diretamente", disse.

A executiva ainda lembrou que nasceu na África do Sul e que sente vergonha de "ser insensível a essa crise - que não discrimina por raça, gênero, ou orientação sexual, e sim nos aterroriza de forma uniforme - e por milhões de pessoas que vivem com o vírus". De acordo com dados da organização sem fins lucrativos Do Something, cerca de 23,8 milhões de africanos são portadores do vírus HIV.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.