Ex-vice-presidente de marketing do Tinder processa a empresa

Por Redação | 09 de Setembro de 2014 às 16h48

Whitney Wolfe, ex-vice-presidente de marketing e cofundadora do Tinder, está processando a companhia dona do aplicativo de paqueras sob a acusação de assédio sexual, o que teria levado a seu desligamento da empresa. As informações são do CNET.

Em detalhes do processo, Whitney afirma que o comportamento dos executivos seniores era "parecido com uma fraternidade", e que tanto o chefe do departamento de marketing, Justin Mateen, quanto o presidente do Tinder, Sean Rad, a tratavam com pouco respeito, chamando-a de nomes depreciativos, como "prostituta".

Mateen também teria dito a Whitney que considerá-la cofundadora do Tinder "pareci uma piada", e que essa maneira inadequada de tratar colegas de trabalho femininas era encorajada pelo grupo de "machões" da corporação. Essas seriam as razões pelas quais, segundo a vice-presidente de marketing, sua saída teria sido forçada.

A IAC, companhia que detém a marca Tinder, confirmou a ação movida por Whitney, mas recusou-se a dar mais detalhes sobre o episódio. Por enquanto, sabe-se que Whitney tem desenvolvido outras atividades e Mateen foi remanejado dentro da empresa, para um cargo que ainda não divulgado.

Lançado em 2012, o Tinder vem fazendo sucesso também no Brasil por oferecer uma maneira fácil de "classificar" pessoas próximas ao nível de interesse dos usuários, seja nas localidades em que moram ou suas preferências.

Fonte: http://www.cnet.com/news/tinder-settles-sexual-harassment-lawsuit-with-former-exec/#ftag=CAD590a51e

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.