Estudo analisa os ciclos de relacionamento no Facebook

Por Redação | 02.05.2013 às 10:00

Uma análise de dados do Facebook mostrou que os adolescentes, tanto meninos quanto meninas, têm o hábito de dizer em seu status de relacionamento que são casados, mesmo quando ainda têm 13 anos de idade. Stephen Wolfram, fundador da Wolfram Alpha, analisou os dados de mais de 1 milhão de pessoas que utilizam o Wolfram Alpha Personal Analytics na rede social.

Os dados obtidos pela ferramenta de análise de dados foram combinados com algumas outras estatísticas e os resultados foram divulgados detalhadamente no blog da Wolfram Alpha. Para encontrar esses dados estranhos de adolescentes que gostam de dizer que são casados, ele analisou as informações de status de relacionamento e as comparou com os dados referentes à idade dos usuários.

As pessoas que dizem estar em um relacionamento sério são, em sua maioria, aquelas na casa dos 20 anos. Depois dessa idade elas começam a alterar o status para casados até que, aos 40 anos, cerca de 75% dos usuários do Facebook estão casados.

Status de relacionamento no Facebook

A relação da idade dos usuários com seus interesses também foi analisada por Wolfram, que descobriu que quando eles envelhecem tendem a falar menos de assuntos como videogames e mais de política, por exemplo. Porém, independente da idade, homens se mostraram mais propensos a falar sobre esportes e tecnologia do que as mulheres, além de demonstrarem maior interesse por filmes, televisão e música.

De acordo com a análise, as mulheres falam mais sobre a família e os amigos, relacionamentos, animais de estimação e sobre a saúde. Ambos os sexos tendem a falar mais sobre a escola e a universidade por volta dos 20 anos, o que não é tão surpreendente. E depois dessa idade eles tendem a ficar mais interessados em falar sobre carreira e dinheiro.

Interesses no Facebook

Interesses de homens e mulheres no Facebook (Fonte: Wolfram Alpha)

Wolfram ainda não sabe dizer ao certo que tipo de teoria pode ser construída com base nos dados obtidos pelo mecanismo, mas ele acredita que o motor de conhecimento computacional pode nos dar uma visão muito mais ampla e profunda do "universo social".