Estudante de 13 anos narra problemas de escola pública no Facebook

Por Joyce Macedo | 27 de Agosto de 2012 às 21h06

A estudante Isadora Faber, de 13 anos, criou uma página no Facebook para mostrar a realidade do seu dia a dia em uma escola pública municipal de Florianópolis, Santa Catarina, onde está cursando a 7ª série. A página da garota, lançada no dia 11 de julho, foi batizada de Diário de Classe.

A ideia era mostrar por meio de imagens e vídeos o descaso com a conservação do prédio que abriga a escola. Fechaduras e portas quebradas eram algumas das coisas que incomodavam a garota, que estuda há sete anos na instituição.

A inspiração maior para dar o pontapé inicial e colocar a boca no trombone sobre o que lhe incomodava veio de um blog chamado Never Seconds, de uma pequena escocesa de 9 anos chamada Martha Payne. Ela fotografou sua merenda escolar todos os dias até que a refeição melhorasse.

Em entrevista ao Canaltech, Isadora conta que não imaginava o tamanho da repercussão de sua página - que já reuniu mais de 15 mil internautas -, e que queria apenas fazer algo para mudar essa realidade. "Eu imaginava que, no máximo, umas 100 pessoas fossem ver", disse.

Os pais apoiam a adolescente com a ideia de divulgar o que acontece em sua escola, mas outros adultos não têm recebido tão bem as postagens de Isadora.

Ela relata que alguns professores criticaram sua iniciativa. "A diretora do colégio afirma não poder fazer nada, e que agora eu teria que 'aguentar as consequências'. Cozinheiras ficam rindo, dizem 'lá vem a fotógrafa', e professoras ficam dando indiretas", disse.

No início, uma amiga de classe ajudava Isadora com a administração do Diário de Classe, porém, o pai da garota pediu para que a filha deixasse o projeto de lado. Os amigos da escola curtem as postagens na rede social, mas pessoalmente, dentro da instituição, não apoiam a iniciativa. É provável que isso aconteça devido ao medo de represálias, afinal, a escola já ameaçou até mesmo processar a mãe de Isadora.

Em um de seus vídeos, Isadora fala diretamente para seus colegas de escola. Ela faz questão de ressaltar que seus protestos são para o bem geral, afinal as melhorias são para todos os estudantes. "Eu não faço o Diário de classe para mim. É para nós.", disse no vídeo.

Mas nem tudo no Diário se resume a críticas. A garota nos disse que não deseja denegrir a imagem da escola, mas sim "mostrar a verdade". Tanto que alguns dos problemas protestados na rede social já foram corrigidos, e ela fez questão de colocar as imagens.

Diário de Classe 2

Tentamos conversar com os responsáveis pela instituição, mas o vigilante que nos atendeu disse que só conseguiríamos contato com os resposáveis amanhã, pois a escola não funciona no período noturno.

A Secretaria Municipal da Educação irá realizar uma reunião com a diretoria da escola amanhã, antes de dar seu parecer a respeito do caso. A mãe da aluna também foi convidada para participar do encontro e poderá levar a filha, caso queira.

A garota diz que pretende continuar até o fim com o seu projeto e que, apesar de ainda ser cedo para escolher uma profissão, pretende ser jornalista. Com certeza, sua primeira grande matéria investigativa já está pronta.

Inscreva-se em nosso canal do YouTube!

Análises, dicas, cobertura de eventos e muito mais. Todo dia tem vídeo novo para você.