Alemanha alega que o Facebook está violando a privacidade dos usuários

Por Redação | 08 de Janeiro de 2013 às 08h30

Uma agência de proteção de dados da Alemanha ameaçou multar o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, em 20 mil euros (cerca de R$ 53 mil) caso sua rede social não permita que os moradores do país utilizem contas anônimas.

Thilo Weichert, comissário de proteção de dados do estado alemão Schleswig-Holstein, enviou cartas para a Califórnia destinadas a Zuckerberg e também para o escritório do Facebook em Dublin (Irlanda), dizendo que as atuais regras da rede social violam a lei alemã ao exigir que os usuários forneçam suas identidades.

Segundo informações divulgadas pelo britânico The Guardian, a lei na Alemanha diz que os serviços de mídia, incluindo o Facebook, devem oferecer aos usuários a opção de usar um pseudônimo em vez do seu nome verdadeiro. O jornal ressalta que especialistas na área de proteção de dados acham muito improvável que o Facebook mude seu modelo de negócio para se adequar às leis de um determinado país.

"Temos o direito de impedir esta violação da proteção de dados. Teoricamente, podemos pedir o bloqueio do site, mas seria desproporcional", afirmou Weichert.

Weichert disse que o Facebook havia pedido proteção legal na corte administrativa em Schleswig-Holstein, mas não houve mudança de posição por parte da rede social, que se mantém firme na decisão de que os usuários devem usar seus verdadeiros nomes.

Mas essa não é a primeira vez que a Alemanha entra em conflito com o site de Zuckerberg. Em 2011, por exemplo, o próprio estado de Schleswig-Holstein resolveu proibir empresas e organizações locais de utilizar o botão 'Curtir' do Facebook, alegando que essa era uma maneira de monitorar os usuários.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.