“Dilma Bolada” é convidada para atuar na campanha de Aécio Neves

Por Redação | 20 de Maio de 2014 às 17h31

A articulação para as eleições de 2014 está gerando mais um burburinho nas redes sociais. Nesta segunda-feira (19), o administrador da página Dilma Bolada, Jeferson Monteiro, publicou um extenso texto afirmando ter sido contatado por uma agência de publicidade e colaboradores do PSDB para atuar na campanha de Aécio Neves para a presidência.

De acordo com o estudante de publicidade, a empresa em questão já administra uma série de páginas no Facebook e estaria disposta a utilizar esse potencial para vender um pacote de divulgação política para candidatos. Além disso, a agência estaria realizando um “casting” de perfis e espaços na rede social que também poderia atuar a favor de um dos candidatos a presidente.

O responsável pelo contato, que não é identificado por Monteiro, já teria falado com os responsáveis pela campanha de Eduardo Campos (PSB) e da própria Dilma Rousseff (PT). O PSDB, porém, teria se mostrado o maior interessado na “transição” de Dilma Bolada, que envolveria até mesmo acordos de exclusividade e pagamentos em dinheiro.

Monteiro diz ter sido contatado até mesmo por Pedro Guadalupe, profissional de marketing e colaborador da campanha de Aécio, que negociaria valores e modos de atuação com a liderança tucana. O criador da Dilma Bolada, porém, disse ter dado andamento nas negociações para “saber até onde ia a cara de pau” dos envolvidos na campanha do PSDB, mas decidiu trazer tudo a público antes que a negociação fosse finalizada.

Dilma Bolada

O criador da Dilma Bolada, Jeferson Monteiro, em encontro com a presidente Dilma Rousseff.

Falando ao jornal O Estado de S. Paulo, Guadalupe afirma que o responsável pela Dilma Bolada pediu R$ 500 mil para participar da campanha de Aécio. O valor não foi aceito e até mesmo a troca de emails entre os dois foi trazida ao público, tendo inclusive sido encaminhada ao PT pelo próprio publicitário.

O colaborador aguarda agora a publicação de uma nota oficial à imprensa pela própria agência de publicidade, de forma a confirmar a negociação e o valor pedido por Monteiro. Em resposta, porém, o administrador da Dilma Bolada afirmou que nunca pediu nada, mas que a cifra de R$ 500 mil chegou a ser oferecida pelos envolvidos na campanha, com ele apenas concordando com o valor.

Aproveitando a publicação do texto, Monteiro disse que nunca recebeu nada pela página Dilma Bolada e que a personagem fictícia nem mesmo está à venda. De acordo com ele, a ideia é apresentar uma releitura da vida cotidiana da presidenta, sem relação nenhuma com o PT nem nenhum outro partido político. A página, inclusive, já rendeu ao estudante um encontro com a própria governante.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.