Com nova mudança no algoritmo, Facebook combaterá spams na linha do tempo

Por Redação | 11 de Abril de 2014 às 11h25

Em mais uma rodada de adequações e mudanças de política para priorizar conteúdos, o Facebook anunciou medidas para coibir a ação dos spammers de conteúdo. A partir de agora, publicações que consistam no velho “curte ou compartilha”, bem como sites que exigem curtidas para liberar textos e imagens, passarão a aparecer cada vez menos para os usuários da rede social.

Para a empresa, essas são atitudes que geram distribuição “artificial”, aparecendo para mais e mais usuários apenas pelo uso de tais artifícios e não pela qualidade do material em si. As mudanças são frutos de pesquisas internas e estudos sobre a utilização dos usuários do Facebook que mediram a maneira como eles interagem com esse tipo de conteúdo.

A ideia é fazer com que esse tipo de publicação não receba mais destaque na linha do tempo do que outros conteúdos legítimos já que, para muitos utilizadores, eles seriam pelo menos 15% menos relevantes. Além disso, a preocupação da rede social é que tais materiais possam roubar o espaço de publicações mais significativas, como fotos e atualizações de status feitas por amigos.

A medida também coibirá links falsos e imagens com ícones de players de vídeo, mas que levam o usuário a páginas e sites cheios de anúncios, por exemplo. A expectativa é que esse tipo de publicação também seja drasticamente afetada, já que os usuários também indicaram que sua relevância é baixa e a veracidade do conteúdo é duvidosa.

Outras ações estão sendo tomadas para evitar a repetição de conteúdo. Páginas e perfis que publicam as mesmas imagens e vídeos muitas vezes, por exemplo, terão sua relevância diminuída, o que deve ocasionar uma queda no número de curtidas e em uma hierarquização menor diante de outras publicações na rede social.

Em seu anúncio oficial, o Facebook garantiu que as medidas não devem afetar as páginas legítimas, mas apenas aquelas que são notoriamente conhecidas por publicar spams. A rede social também comentou que a maioria dos conteúdos publicados na rede social não se encaixam nas categorias citadas acima, o que demonstra o uso saudável do sistema por boa parte de seus usuários.

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.