Cidade fantasma ou relíquia esquecida: o que ainda acontece no Orkut?

Por Stephanie Hering | 18.12.2013 às 13:44

Em janeiro de 2004, era lançado o Orkut. Em pouco tempo, a rede social virou febre no Brasil e os usuários imploravam por um convite para fazer parte da novidade. Os anos foram passando e, infelizmente, o Facebook tomou o lugar do tão querido Orkut. Mas engana-se quem pensa que o Orkut é uma mera "cidade fantasma".

Aqui no Brasil, a primeira rede social do Google ainda apresenta um tráfego relevante. Segundo estudo do eMarketer realizado em outubro, o Orkut é a 5ª rede social mais acessada do Brasil, com 0,97% dos acessos. E aí surge a seguinte pergunta: afinal, o que essas pessoas ainda fazem no Orkut?

Comunidades

A primeira hipótese para essa pergunta é divulgação de vírus e spams, porém, não é só isso. Ainda existem pessoas reais que acessam o site com outros propósitos. Um deles são as comunidades, recurso que chama atenção por sua organização. "Uso o Facebook há anos, mas ainda não consegui largar o Orkut. Participo de comunidades que ainda têm assunto e são ótimas", afirma uma usuária do Orkut, identificada apenas como Raissa M. "Entro pra pegar links de downloads, ver notícias de um determinado tema... E não tem aquela bagunça dos grupos do Facebook", completa.

Fazendo um tour rápido pelas comunidades, é possível, de fato, notar recursos que fazem falta nos grupos do Facebook. O principal deles é o Fórum, que permite separar postagens por assuntos. Em algumas, ainda existem os chamados tópicos "fixos", que são geralmente linkados em um banner de "menu principal".

Além disso, é comum encontrar uma categorização de tópicos, que podem vir acompanhados de palavras como "off" (em inglês, "desligado", usada para postagens sem relação com o tema da comunidade), "pedido", "news" (para notícias) e outras. Por fim, ao responder ao post de alguém, é possível citá-lo, para que a pessoa saiba que você está se referindo ao comentário dela, ou ainda apenas expressar uma reação à publicação com um emoticon.

Orkut - comunidades

Orkut - comunidades
Orkut - comunidades

Outro recurso interessante das comunidades é a possibilidade de vinculá-las ao Google+, permitindo que pessoas de ambas as redes sociais participem da página.

Orkut - comunidades

As comunidades que ainda possuem tráfego são geralmente ligadas a assuntos de futebol ou música, como times e cantores. Na comunidade Britney Spears, por exemplo, o número de membros é de mais de 330 mil. Em uma semana acompanhando a página, é possível notar que as postagens em tópicos são geralmente diárias. Em outros exemplos, como a comunidade da cantora Avril Lavigne, os participantes devem seguir regras criadas pelos moderadores da comunidade, ou estarão sujeitos a serem banidos da página.

Aplicativos

Lembra da época que você começou a jogar Farmville e outros jogos da Zynga no Facebook? Logo após essa febre, o Orkut reagiu com a implantação de aplicativos, incluindo jogos semelhantes aos da rede social de Mark Zuckerberg, como a Mini Fazenda e o Café Mania, ambos da Vostu. Ainda é possível encontrá-los no Orkut e se divertir.

Orkut - Apps

Outro app que provavelmente você brincou bastante é o BuddyPoke, uma espécie de avatar animado que poderia ter a sua aparência e interagir com amigos. Mais tarde, o aplicativo ganhou uma versão de GIF, imagem estática e até mesmo toy art de papel, vendido à parte.

Orkut - Apps

Relíquias e recursos que deixaram "sdds"

Se você curte uma "sessão nostalgia", pode encontrar algumas "relíquias" no Orkut. Uma delas é o perfil de Orkut Büyükkokten, o criador da rede social. Outro profile histórico é o do Cid, do blog "Não Salvo", que na época, era conhecido como "C! The Space Cowboy" e ficou famoso por suas comunidades nonsense. São essas comunidades sem sentido também que podem render boas risadas.

Orkut - comunidades

Existem também alguns recursos que sempre nos remetem à famosa frase "sdds Orkut". A ferramenta de visitantes recentes é um exemplo. Com ela, é possível visualizar as últimas pessoas que visitaram seu perfil. Contudo, você também aparecerá no visualizador de outras pessoas. O Facebook nunca teve algo parecido ou pensou em fazê-lo. A reprodução mais perto disso está no LinkedIn, que mostra quem "fuçou" você, mas em compensação, permite que você se identifique como anônimo.

Não podemos esquecer das ferramentas para personalizar o perfil, como a famosa frase que estampava o início da página pessoal, carregada de trechos de músicas ou "indiretas". Ela ainda está lá, intacta. Já os temas, que na verdade são os papeis de parede, ganharam mais versões. Existem temas de datas comemorativas, como aniversário, ou temas de signos do Zodíaco.

Por último, se tem algo que o Facebook provavelmente não irá superar no Orkut, são os GIFs. Antes vistos como "bregas", os GIFs são amados atualmente, e reproduzidos em sites, blogs, perfis no Tumblr e onde mais o formato for aceito. Já existem alternativas para rodar um GIF no Facebook, com o Giphy, entretanto, não de forma automática, como no Orkut.

Voltar ou não a usar o Orkut

Apesar da ideia de resgatar a conta antiga no Orkut (ou criar uma nova) ser tentadora, o Orkut não é vantajoso se o que você procura é interação com amigos ou exposição. Se o seu propósito é participar de uma comunidade, vá em frente. Ainda existem algumas páginas que recebem atualizações com frequência e podem ser um bom espaço para discussões, principalmente sobre gostos.

Vale a pena dar uma espiada em lembranças esquecidas da rede, porém, provavelmente, você não conseguirá passar disso por conta da solidão no espaço. Infelizmente, as chances de receber um scrap ou ser avaliado como "100% legal, confiável e sexy" são praticamente nulas. Bons tempos que não voltam mais.