Chefão do Google+ alfineta anúncios adotados pelo Facebook

Por Redação | 30 de Novembro de 2012 às 09h40

Há quem diga que o Google+ é apenas mais uma tentativa frustrada do gigante das buscas para entrar no mundo das redes sociais, mas parece que a companhia não enxerga o site como uma cidade fantasma.

Durante uma conferência realizada nesta quarta-feira (28), Bradley Horowitz, vice-presidente de produtos do Google +, explicou a visão da empresa em relação à rede social. Horowitz aproveitou o evento para divulgar que o Google + possui 400 milhões de usuários registrados, incluindo 100 milhões de pessoas que visitam o aplicativo móvel ou o site pelo menos uma vez por mês.

O executivo também usou boa parte do seu discurso para alfinetar o Facebook e seus polêmicos anúncios no feed de notícias. Horowitz disse acreditar que é muito mais útil (e menos irritante) para os usuários verem recomendações sociais em vez dos anúncios.

Por exemplo, se você procura por um microondas no Google - aproveitando o mesmo exemplo citado pelo executivo -, você pode ver qual marca seus contatos do Google + recomendam, em vez de anúncios "aleatórios". Ele enfatiza ainda que as recomendações são muito mais valiosas e não comprometem a experiência do usuário.

"Nós não temos que fazer a folha de pagamento da próxima semana por meio de interferências de anúncios para nossos usuários", acrescenta Horowitz.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.